Marys Medicine

Anl2016.pt


jornadas internacionais da qualificação em laboratórios de análises clínicas
Livro de Resumos
TITULO RESUMO
CF (1) - CF (2) - CF (3) -
20/05 21/05 21/05
BIOQUIMICA
PESQUISA DE DROGAS DE ABUSO - IMPLEMENTAÇÃO DE UM MÉTODO DE LEITURA AUTOMATIZADO PARA O TESTE IMUNOCROMATOGRÁFICO PANCREATITE AGUDA E LIPÉMIA – A PROPÓSITO DE UM CASO CLÍNICO MARCADORES CARDÍACOS - PERFIL DE SOLICITAÇÕES DO SERVIÇO DE URGÊNCIA DA UNIDADE LOCAL DE SAÚDE DE MATOSINHOS DESEMPENHO DA TIRA-TESTE VERSUS RAZÃO ALBUMINA/CREATININA ( RAC ) NUMA POPULAÇÃO DIABÉTICA E/OU HIPERTENSA VITAMINA D: AVALIAÇÃO DE DOIS SISTEMAS ANALÍTICOS ANTIBIÓTICOS: PERFORMANCE NO CONTROLO DE QUALIDADE EXTERNO DO SERVIÇO DE PATOLOGIA CLÍNICA DA UNIDADE LOCAL DE SAÚDE DE ESTUDO COMPARATIVO ENTRE TESTES IMUNOQUÍMICOS DE PESQUISA DE SANGUE OCULTO NAS FEZES PARA A DETEÇÃO DE ADENOMAS DO CÓLON MONITORIZAÇÃO TERAPÊUTICA DE TACROLIMUS: ESTUDO COMPARATIVO DE AVALIAÇÃO DO EFEITO DA CONCENTRAÇÃO DA HEMOGLOBINA NA DETERMINAÇÃO DA HEMOGLOBINA GLICADA EVALUATION OF DOE ALGORITHM PERFORMANCE FOR NON-INVASIVE SCREENING OF ANEUPLOIDIES (COMPARED TO TRADICIONAL MOM ALGORITHM) AVALIAÇÃO DO RISCO DE EVENTOS CARDÍACOS ADVERSOS APÓS MEDIÇÃO ÚNICA DE TROPONINA DE ALTA SENSIBILIDADE: ESTUDO PROSPECTIVO DE 6 MESES COMPARANDO 3 ENSAIOS DIFERENTES IDENTIFICAÇÃO DE URATO MONOSSÓDICO NO LÍQUIDO SINOVIAL DETERMINAÇÕES QUANTITATIVAS DO GRAU DE ALCOOLEMIA NUM LABORATÓRIO DE URGÊNCIA DE UM HOSPITAL TERCIÁRIO DA CAPITAL – UTILIDADE CLÍNICA UM ANO DE ESTUDO DE PSICOFÁRMACOS NUM LABORATÓRIO DE URGÊNCIA DE UM HOSPITAL TERCIÁRIO DA CAPITAL COMO MONITORIZAR UM PACIENTE DIABÉTICO QUANDO A SUA HBA1C É AVALIAÇÃO LABORATORIAL DA HORMONA ANTI-MULLERIANA: MANUAL VS CONTROLO DA QUALIDADE
QUALIDADE ANALÍTICA NO LABORATÓRIO DO SÉCULO XXI. OTIMIZAÇÃO DE UMA CARTA DE CONTROLO INTERNO EM 3 LABORATÓRIOS DE DIMENSÃO E Controlo da Qualidade ÂMBITO DIFERENTES. GENÉTICA E PATOLOGIA MOLECULAR
GENETIC TESTING OF IDIOPATHIC METABOLIC DISORDERS BY TARGETED Genética e Patologia NEXT-GENERATION SEQUENCING RASTREIO PRÉ-NATAL DE CROMOSSOMOPATIAS (trissomia 21 e 18) NO 1º Genética e Patologia TRIMESTRE: AVALIAÇÃO DE METODOLOGIA E REVISÃO DE CASUÍSTICA HEMATOLOGIA
AVALIAÇÃO DOS PARÂMETROS PLAQUETARES MPV E PDW EM AMOSTRAS DETERMINAÇÃO DOS INTERVALOS DE REFERÊNCIA DO TEMPO DE PROTROMBINA E DO TEMPO DE TROMBOPLASTINA PARCIAL ACTIVADA CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO DE DOENTES HIPOCOAGULADOS ORAIS ALTERAÇÕES DA HEMÓSTASE NA LEUCEMIA PROMIELOCÍTICA AGUDA COMPARISON OF THE NEW IGA HEAVY/LIGHT CHAIN IMMUNOASSAY WITH SERUM PROTEIN ELECTROPHORESIS FOR MONITORING MULTIPLE MYELOMA PATIENTS USO DE ÍNDICES DEMENTZER, DIAGNÓSTICO DIFERENCIALDEANEMIAS MICROCÍTICAS UTILIDADE DOS ÍNDICES DE MENTZER, ENGLAND AND FRASER E % GR MICROCÍTICOS/% GR HIPOCRÓMICOS NA AVALIAÇÃO LABORATORIAL DAS ANEMIAS MICROCÍTICAS "CONTRIBUTO DA OBSERVAÇÃO DO ESFREGAÇO SANGUÍNEO PARA O DIAGNÓSTICO DE GAMAPATIA MONOCLONAL" IMUNOLOGIA
NEM TUDO O QUE PARECE É: A PROPÓSITO DE UM PICO MONOCLONAL NA ELECTROFORESE CAPILAR PARANEOPLASTIC LIMBIC ENCEPHALITIS WITH GAD65 ANTIBODIES: A ALERGIA INALANTE – RESULTADOS DOS ALERGENOS MAIS FREQUENTEMENTE UM CASO CLINICO – PROVÁVEL COLANGITE BILIAR PRIMÁRIA INCIDÊNCIA DAS GAMAPATIAS MONOCLONAIS NA POPULAÇÃO ABRANGIDA PELA REDE DE LABORATÓRIOS DO GRUPO BMAC SEROLOGIA DA TOXOPLASMOSE, RUBÉOLA E CITOMEGALOVÍRUS- ANÁLISE DA CASUÍSTICA BMAC NA ZONA DO GRANDE PORTO, EM 2015 ESTUDO DOS ALERGÉNIOS INALANTES MAIS FREQUENTES NO DISTRITO DE VILA REAL INDUTORES DE ATOPIA, DURANTE O ANO 2015. MÉTODOS ANALÍTICOS
TESTOSTERONA LIVRE – COMPARAÇÃO DE RESULTADOS OBTIDOS POR QUIMIOLUMINESCÊNCIA COM OS OBTIDOS POR RADIOIMUNOENSAIO Métodos Analíticos EFICÁCIA DE DOIS ENSAIOS DE CADEIAS LEVES LIVRES EM SORO NO DIAGNÓSTICO DE DIFERENTES GAMAPATIAS MONOCLONAIS Métodos Analíticos COMPARISON OF THE PERFORMANCE OF THE NEWLY DEVELOPED IGG HEAVY CHAIN/ LIGHT CHAIN IMMUNOASSAYS WITH SERUM PROTEIN Métodos Analíticos ELECTROPHORESIS FOR MONITORING IGG MULTIPLE MYELOMA HAEMOPHILUS INFLUENZAE ISOLADO EM URINA PEDIÁTRICA CASO CLÍNICO: INFEÇÃO POR MYCOBACTERIUM CHELONAE ASSOCIADA A EVALUATION OF TWO ALGORITHMS FOR DIAGNOSIS OF EPSTEIN-BARR VIRUS PRIMARY INFECTION ESTUDO DA PREVALÊNCIA DAS IGGS PARA O VÍRUS DA RUBÉOLA EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE COM RECURSO AOS "GUTHRIE CARDS" HEMOCULTURAS - TRATAMENTO ESTATÍSTICO GRUPO UNILABS PORTUGAL PREVALÊNCIA DE ESBL E KPC EM ESCHERICHIA COLI E KLEBSIELLA PNEUMONIAE NO LABORATÓRIO BMAC – ANÁLISE RETROSPECTIVA DE 2011 INFECÇÃO CUTÂNEA POR MICOBACTERIUM CHELONAE APÓS MESOTERAPIA - O CONTRIBUTO DO LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA CLINICA ESTUDO DA INCIDÊNCIA DE INFEÇÕES POR NEISSERIA GONORRHOEAE E A PREVALÊNCIA DE RESISTÊNCIAS AOS ANTIMICROBIANOS PROBLEMÁTICA DAS INFECÇÕES PÓS ANTIBIOTERAPIA EM DOENTES PREVALÊNCIA DE COLONIZAÇÃO DE STREP GRUPO B NUMA POPULAÇÃO DE GRÁVIDAS DO DISTRITO DE VILA REAL SHELL VIAL - IDENTIFICAÇÃO EM MEIO DE CULTURA CELULAR AVALIAÇÃO DOS PERFIS DE RESISTÊNCIA A ANTIBIÓTICOS EM ISOLADOS DE ESCHERICHIA COLI PROVENIENTES DE INFEÇÕES URINÁRIAS ADQUIRIDAS NA IMPORTÂNCIA DAS INFECÇÕES POR UREAPLASMA UREALYTICUM, UREAPLASMA PARVUM, MYCOPLASMA HOMINIS E MYCOPLASMA GENITALIUM NA QUALIDADE DO ESPERMA E NA FERTILIDADE MASCULINA A IMPORTÂNCIA DO HEMOGRAMA NO DIAGNÓSTICO DE DENGUE: A PROPÓSITO DE UM CASO CLÍNICO MONITORIZAÇÃO DO RISCO DE EXPOSIÇÃO À LEISHMANIOSE ZOONÓTICA DESEMPENHO DOS PARTICIPANTES NO DIAGNÓSTICO DA MALÁRIA INCLUÍDO NO PROGRAMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO EXTERNA DA QUALIDADE EM MORFOLOGIA PARASITÁRIA AUDITING IN PREANALYTICAL PHASE – AN AUTOEVALUATION OF TOXICOLOGIA
EFEITO DO IÃO FLUORETO, IN VITRO, SOBRE A MOBILIDADE DOS ESPERMATOZOIDES HUMANOS Legenda: CF(1), (2) e (3) - Coffee-Breack de dias 20/05 e 21/05 • Os resumos estão disponíveis em www.anl2016.pt/livro-de-resumos/a todos os participantes. • A Secção Regional do Porto da Ordem dos Farmacêuticos irá publicar na sua revista, Acta Farmacêutica Portuguesa, os dez melhores trabalhos apresentados no VI Congresso da ANL IV Jornadas JIQLAC. A publicação terá o formato de "comunicação. • Os autores dispõem de um painel com uma área de 90 cm (largura) x 120 cm (altura) para afixar os seus pósteres. No local haverá, à disposição dos autores, material para afixação. Todos os autores são responsáveis pela colocação e remoção dos pósteres do local que estará devidamente assinalado para esse efeito. Os pósteres deverão ser colocados no dia 20 de maio e obrigatoriamente retirados até dia 21 de maio pelas 17 horas. Um dos autores deverá permanecer junto ao póster no período de discussão, que decorrerá durante os coffee breaks.
Resumo número/Abstract number:
02
Título da apresentação/Abstract title: PESQUISA DE DROGAS DE ABUSO - IMPLEMENTAÇÃO DE UM
MÉTODO DE LEITURA AUTOMATIZADO PARA O TESTE IMUNOCROMATOGRÁFICO

Tema/Theme: Bioquímica
Autor(es)/Authors: Vanessa Pereira(1)
Afiliação/Membership: (1) Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho

Resumo/Abstract:

A pesquisa de drogas de abuso, no Serviço de Patologia Clínica do Centro Hospitalar Vila Nova Gaia/Espinho, é realizada através de um imunoensaio competitivo com determinação qualitativa da presença de um conjunto de 12 drogas numa amostra de urina. Na prática diária foram identificadas possíveis fontes de erro associadas ao tempo desadequado de leitura e à variabilidade intra e inter- observador, o que motivou a procura de soluções alternativas que permitissem otimizar a execução e os resultados obtidos.
Objetivo
Determinar, em função das características técnicas, um método que atenue as fontes de erro e se adapte às necessidades do Serviço.
Material e Métodos

Consultado o mercado para propostas relativas a testes de deteção de drogas de abuso automatizados quanto ao processamento e/ou leitura, foram obtidas respostas válidas de duas casas comerciais (Biorad e BioPortugal). Estas disponibilizaram os kits de deteção de drogas de abuso, compostos por cassetes de teste imunocromatográficos com painel de 12 drogas previamente selecionadas pelo Serviço, e respetivo dispositivo automático de leitura. Para avaliar o sistema e a reprodutibilidade dos testes, foram analisadas 51 amostras de urina, sendo efetuado o registo de quatro resultados para cada fármaco testado: TOX-See® - Leitura pelo observador; TOX-See® - Resultado do equipamento de leitura; nal von minden® -
Leitura pelo observador; nal von minden® - Resultado do equipamento de leitura.

Resultados
Um dos equipamentos foi comprovadamente eficaz no controlo das variáveis tempo e observação dos
Conclusões

Um dos testes foi, francamente, superior por apresentar uma interface de utilização simples, possibilidade de criar uma base de dados digital e um temporizador de leitura que tornou o teste numa mais valia quanto à fiabilidade dos resultados.
Resumo número/Abstract number:
04
Título da apresentação/Abstract title: HAEMOPHILUS INFLUENZAE ISOLADO EM URINA PEDIÁTRICA

Tema/Theme:
Microbiologia
Autor(es)/Authors: Maria do Rosário Pires da Cruz Barros(1) M. Alexandra Gomes, Andrea Afonso
Afiliação/Membership: (1) Unilabs/Medicina Laboratorial Dr.º Carlos Torres SA

Resumo/Abstract:

CASO CLÍNICO: Criança de 5 anos do sexo feminino com vários episódios de sintomas de infecção urinária.
Urinas com leucócitos e culturas estéreis nos meios de cultura (CPSE e GS), usados na rotina das
MÉTODO: Da urina foi feito um esfregaço com uma gota de urina não centrifugada e coloração de gram.
Observaram-se numerosos cocobacilos gram negativo. A cultura nos meios CPSE e GS revelou-se estéril às 24 horas de incubação a 35ºC. Da urina mantida a 2º-8º semeou-se GC-PVX (bioMérieux) com incubação a 35ºC em atmosfera de 5% a 10% de CO2.Às 24 horas de incubação, observou-se uma cultura de 100.000 UFC/ml com morfologia sugestiva de Haemophilus spp. A identificação com a carta NH e o sistema VITEK2 (biomérieux) foi de Haemophilus influenzae .
DISCUSSÃO: A infecção do tracto urinário por Haemophilus influenzae em pediatria raramente é descrita na
literatura científica. A baixa taxa de incidência resulta da não introdução na rotina da cultura da urina dos meios adequados para o seu crescimento. A primeira descrição de isolamento de Haemophilus influenzae na urina de criança foi em 1974. Os dois casos (1 sexo masculino 3 anos, 1 sexo feminino 4 anos) estão relacionados com o factor predisponente – refluxo ureteral bilateral. Em 2004 foi descrito novo caso em criança do sexo feminino 2 anos com duplicação e refluxo ureteral unilateral. O isolamento de Haemophilus influenzae em urina de crianças poderá ser um dado importante num diagnóstico de uma possível uropatia crónica de base ou de uma malformação das vias urinárias.
CONCLUSÃO: nas urinas pediátricas com leucócitos no sedimento urinário e uroculturas negativas nos
meios de cultura convencionais é IMPORTANTE a introdução de meio de ágar chocolate enriquecido com
factores V (NAD) e X (hemina) e incubação em atmosfera de 5% a 10% de CO2.
Resumo número/Abstract number:
05
Título da apresentação/Abstract title: AVALIAÇÃO DOS PARÂMETROS PLAQUETARES MPV E PDW EM
AMOSTRAS PROBLEMA

Tema/Theme:
Hematologia
Autor(es)/Authors: Jorge Reis(1) ;Tânia Rodrigues(1) ;Carla Patrícia Silva(1) ;Lara Simão(1);Rui Soares(1);
Ana Raquel Paiva(1) ;Nuno Oliveira(1) ;Isabel Joana Diamantino(1) ;Frederico Marques Valido (1) Afiliação/Membership: (1) SPC IPOC FG EPE

Resumo/Abstract:

Os doentes oncológicos apresentam-se muitas vezes com veias frágeis, de diâmetro reduzido e de difícil ancoragem, repercutindo-se as dificuldades da colheita venosa na qualidade das amostras a processar. Neste trabalho tentamos perceber a utilidade do volume plaquetar médio (MPV) e amplitude de distribuição de plaquetas (PDW), na diferenciação entre agregados e macrocitose plaquetar em amostras Das amostras para hemograma (K3 EDTA) processadas em equipamentos LH750, 380 apresentaram alarme de agregados plaquetares e/ou plaquetas gigantes. A presença de agregados ou de anisocitose plaquetar foi confirmada por observação de esfregaços de sangue periférico ao microscópio ótico (mo). A comparação dos grupos, agregados, fibrina e anisocitose, foi efetuada através dos parâmetros plaquetares MPV e PDW, utilizando o Teste T de Student. A sensibilidade e especificidade destes parâmetros em determinar a presença de agregados foi avaliada através das curvas Receiver Operating Caracteristic - ROC (IBM SPSS Das amostras avaliadas 30% apresentavam agregados plaquetares ao mo, 22% fibrina com ou sem agregados visíveis e 48% anisocitose plaquetar. As médias ± SD obtidas para o MPV e PDW dos grupos agregados, fibrina e anisocitose foram respetivamente 8,73±1,19 e 17,87±0,88; 8,49±0,90 e 17,67±1,78; 10,50±1,23 e 17,36±1,03. A comparação (Teste T) entre os grupos agregados e anisocitose para os parâmetros MPV e PDW revelou diferença estatisticamente significativa (ρ<0,001; ρ<0,001), assim como entre os grupos fibrina e anisocitose (ρ<0,001; ρ=0,016). Entre os grupos agregados e fibrina não se observaram diferenças estatisticamente significativas (ρ=0,122; ρ=0,090). A sensibilidade e especificidade obtidas para o MPV foi de 84,4% e 78,8% respetivamente, e para o PDW 63,1% e 55,9% na previsão de agregados/fibrina, com valores de corte para o MPV de 9,35 fL e um valor de corte para o PDW de 17,45. As áreas sob as curvas ROC foram de 0,870 para o MPV e de 0,638 para o PDW. O MPV parece contribuir grandemente para a diferenciação entre agregados plaquetares e anisocitose plaquetar (macrocitose plaquetar), não apresentando a mesma capacidade discriminatória o PDW. Estes dados apontam na possibilidade de utilizar os valores de MPV quando se suspeita de amostras com presença de agregados plaquetares.
Resumo número/Abstract number:
06
Título da apresentação/Abstract title: MONITORIZAÇÃO DO RISCO DE EXPOSIÇÃO À LEISHMANIOSE
ZOONÓTICA

Tema/Theme:
Parasitologia
Autor(es)/Authors: José Cristóvão(1)
Afiliação/Membership: (1) Dr. Joaquim Chaves, Laboratório Análises Clinicas

Resumo/Abstract:

A leishmaniose zoonótica causada por Leishmania infantum é endémica na Bacia Mediterrânica sendo o cão o principal reservatório doméstico da leishmaniose visceral humana. Os parasitas são transmitidos pela picada de flebotomíneos vetores (Diptera, Phlebotominae) sendo Phlebotomus perniciosus o principal vetor no Sudoeste Europeu. O objetivo deste trabalho foi analisar a resposta humoral desenvolvida no cão à saliva de P. perniciosus. Foi ainda realizada a validação de amostras obtidas de modo não invasivo (i.e. células conjuntivais) na monitorização do contacto parasita-cão. Foram avaliados 241 cães de canis da Região Metropolitana de Lisboa no início (Maio) e no fim (Outubro) da época de atividade flebotomínica. Recorreu-se à técnica de Nested-PCR (nPCR) para a deteção de DNA parasitário no sangue periférico e nas células conjuntivais, e à técnica serológica ELISA para a pesquisa de anticorpos circulantes anti-Leishmania e anti-saliva de P. perniciosus. A seroprevalência obtida tanto no início (13,3%) como no final (14,1%) da época de transmissão, demonstra que a região de Lisboa continua a ser uma zona endémica desta zoonose. A colheita de células conjuntivais é uma técnica não invasiva, de fácil execução e bem aceite pelos proprietários. Parece ser uma amostra eficaz visto que permitiu a deteção do DNA parasitário por nPCR em 35,7% dos animais no final da época flebotomínica. Os três antigénios salivares de flebótomo utilizados no presente estudo: i) homogeneizado total das glândulas salivares (HGL); e duas proteínas recombinantes, ii) proteína amarela e ii ) uma mistura de proteína amarela e apirase, podem ser usados como marcadores de exposição aos vetores de Leishmania visto serem capazes de detetar o contacto cão-P. perniciosus. Uma vez que a utilização do HGL implica a necessidade de manter uma colónia de flebótomos e a disseção das glândulas salivares, a utilização dos dois antigénios recombinantes representa uma grande promessa na monitorização de exposição à picada de P. perniciosos em áreas geográficas onde esta espécie de flebótomo esteja presente. A deteção de uma resposta imunitária às proteínas salivares dos flebótomos, para além de permitir estimar as áreas de risco de transmissão do parasita, poderá ser utilizada para avaliar a eficácia de campanhas anti-vetoriais.
Resumo número/Abstract number:
09
Título da apresentação/Abstract title: PANCREATITE AGUDA E LIPÉMIA – A PROPÓSITO DE UM CASO
CLÍNICO

Tema/Theme:
Bioquímica
Autor(es)/Authors: Margarida Pereira(1);Isabel Cachapuz(1)
Afiliação/Membership: (1) ULSM

Resumo/Abstract:

Introdução: Lipemia (L), apesar de rara, é fonte de erros laboratoriais. Macroscopicamente, a amostra
apresenta aspecto leitoso. O índice lipémico (IL) permite detectar com rigor grau de L. L interfere nos testes que utilizam como sistema de medição a transmissão de luz. Esta interferência é devida a três mecanismos distintos: dispersão de luz, aumento da fase não aquosa e efeito de partição entre as fases polar/não polar.
Caso Clínico:
Sexo feminino, 41 anos, obesidade mórbida, bronquite crónica, HIV +, sob KIV (abacavir+
lamivudina) +ATZ/r (atazanir + ritonavir), recorreu à Urgência por dor abdominal em barra, irradiando para dorso. Hemodinamicamente estável. TC: "discreto edema adjacente à cauda pancreática". Analiticamente: soro lactescente (IL: 4 +; 4814 mg/dL ), não permitindo quantificação de triglicerídeos (Tg) e amílase sérica. Amílase urinária: 1274U/L. Internada por pancreatite aguda (PA) secundária a "provável" hipertrigliceridemia grave por antiretrovirais (atazanir). Ponderou-se plasmafiltração, mas suspensa quando Tg doseáveis (1500 mg/dL). Boa resposta às medidas instituídas, sempre com Tg e colesterol em perfil descendente. Conclusões: Depois de hemólise, L é a interferência endógena mais frequente, influenciando os resultados
dos exames laboratoriais.PA secundária a anti-retrovirais, apesar de rara, deve ser considerada no diagnóstico diferencial em doentes HIV +. Fundamental interface clínico-laboratorial.
Referências Bibliográficas:
1- Calmarza P, Cordero J. Lipemia interferences. Biochemia Medica 2011;21(2):160-6 2 - Dimeski G. Interference testing. Clin Biochem Rev 2008;29 Suppl 1:S43-8
Resumo número/Abstract number:
10
Título da apresentação/Abstract title: MARCADORES CARDÍACOS - PERFIL DE SOLICITAÇÕES DO SERVIÇO
DE URGÊNCIA DA UNIDADE LOCAL DE SAÚDE DE MATOSINHOS

Tema/Theme: Bioquímica
Autor(es)/Authors: Margarida Pereira (1); Isabel Cachapuz(1)
Afiliação/Membership: (1) ULSM

Resumo/Abstract:

Introdução: Marcados Cardíacos (MC) são utilizados para monitorizar e avaliar lesão e disfunção
miocárdica. As Troponinas cardíacas, isoformas T e I, atualmente são consideradas o gold standard no diagnóstico de Síndrome Coronário Agudo (SCA). O papel do doseamento do Parâmetro (P) CK-MB Massa no diagnóstico de SCA é controverso e não consensual. Apesar de constar ainda nas Recomendações da ACC/AHA( útil em situações de Re-Enfarte) as Troponinas são também capazes de detectar rapidamente e com maior sensibilidade e especificidade uma lesão recorrente. A Mioglobina (Mio) pela sua fraca cardioespecificidade e eliminação renal é cada vez mais considerado MC em desuso.
Objectivo:
Avaliar perfil de solicitações de MC no Serviço de Urgência (SU)

Material e Métodos:
Estudo retrospectivo. Período: 1 ano (1.9. 2014 -31.8.2015). Sistema Informático do
Laboratório: CLINIDATA XXI®.
Resultados:
Total de Pedidos MC: 43114. Origem dos Pedidos: 54% SU (23404); 45% Internamento (16489);
1% Ambulatório (Consulta Externa + Centros de Saúde). Média de Idades: 66,3 (geral); 65,7 (SU). Distribuição por Género: 51,5% Masculino (M), 48,5% Feminino (F); SU- 48,6 M; 51,4 F. SU: 1 P (Troponina I- TpI):42,8% (9988); 2 Parâmetros (Ps): 13% (3043); Combinação mais frequente: Tp I+ Mio :90% (2737); 3 Ps: ( Tp I +Mio+CK-MB Massa):44,2%(10318). Nos doentes com 1 P solicitado, 59% (5899) têm MC positivo. Com 2 Ps solicitados, 30% (924) têm MC positivo em pelo menos 1 P. Com 3 Ps solicitados,31% (3208) têm pelo menos 1 MC positivo. Dentro dos doentes com pelo menos 1 MC positivo a informação clínica mais frequentemente associada foi: 1)Dor Torácica; 2)Enfarte Agudo Miocárdio; 3)Reavaliação/Monitorização; 4)Dispneia; 5)Síncope/ Lipotimia. Nos doentes com MC negativos a informação clínica mais frequentemente associada foi:1) Dor Torácica; 2)Síncope/Lipotimia; 3) Reavaliação/Monitorização; 4)Mal Estar/Indisposição; 5) Hipertensão Arterial.
Conclusão:
Os MC constituem o Exame Laboratorial de Referência perante a suspeita diagnóstica de EAM. A
TpI é o preferido, sendo mais específico e mais sensível. É de salientar que este pode não estar elevado na fase inicial do EAM, o que determina que, na suspeita de EAM, a TpI tenha de ser repetida. A Análise desta Casuística é pertinente e deve ser considerada na Implementação de Novos Algoritmos de Trabalho.
Resumo número/Abstract number:
11
Título da apresentação / Abstract title: DESEMPENHO DA TIRA-TESTE VERSUS RAZÃO ALBUMINA /
CREATININA ( RAC ) NUMA POPULAÇÃO DIABÉTICA E/OU HIPERTENSA

Tema/Theme:
Bioquímica
Autor(es)/Authors: Margarida Pereira(1);Isabel Cachapuz(1)
Afiliação/Membership: (1) ULSM

Resumo/Abstract:

Introdução: Apesar de ser considerada um marcador precoce de lesão glomerular em indivíduos diabéticos,
a microalbuminúria (mA) também ocorre em indivíduos não-diabéticos, especialmente em casos de hipertensão arterial. Assim, a medida precisa e exacta da albuminúria (A) é de grande importância clínica.
Objectivos:
Pretendeu-se avaliar o desempenho da tira-teste (Tt ) na detecção de A, em amostras isoladas
de urina, comparativamente com os resultados da Razão albumina/creatinina (RAC).
Material e Métodos:
Estudo retrospectivo, 6 meses. 2714 Amostras de urina provenientes dos Centros de
Saúde de uma população de diabéticos e/ou hipertensos, sujeitas simultaneamente a Tt e RAC. Em Aution Max AX-4030 da ARKRAY ®, determinação da A na Tt: espectrofotometria de refletância, baseada na reacção de erro da proteína do indicador de pH; Valores de Referência <10mg/dL. Em Abbott Architect c Systems®,determinação da A por imunoturbidimetria (µg/mL) e determinação de creatininúria por metodologia IDMS traceable (mg/mL). No diagnóstico de A, o nível de decisão de RAC foi ≥ 30mg/g. RAC foi considerado o teste gold standart, calculando-se: sensibilidade (S), especificidade ( E ), valor preditivo positivo( VPP ) , valor preditivo negativo (VPN ) da Tt.
Resultados:
Género:55 %sexo feminino; 45% sexo masculino). Faixa etária:18 – 97 anos (média 60.5). Das
2714 amostras, 2178 ( 80 %) foram negativas na Tt e pela avaliação pela RAC 1992 (74%) foram negativas. Das 2714 amostras, 536 ( 20 %) foram positivas na Tt e pela avaliação pela RAC 722 (26%) foram positivas.O desempenho da Tt no diagnóstico de A foi: S= 51%, E = 85%, VPP = 36%, VPN = 91%
Conclusões:
A Tt é apropriada para excluir doentes com A negativa. Contudo, na presença de A na Tt, esta
deverá ser sempre confirmada com a determinação da RAC ou A de 24h. O doseamento da mA, segundo a American Diabetes Association , deve ser feito anualmente em diabéticos tipo 1 a partir do quinto ano do diagnóstico e em diabéticos tipo 2 a partir do diagnóstico. A presença de mA requer atenção para medidas de controlo da pressão arterial( TA< 130/80 mmHg), assim como para controlo do perfil lipídico/glicemia, além da adopção de medidas terapêuticas eficazes na redução da A (IECA ou ARA).
Resumo número/Abstract number:
12
Título da apresentação/Abstract title: VITAMINA D: AVALIAÇÃO DE DOIS SISTEMAS ANALÍTICOS

Tema/Theme:
Bioquímica
Autor(es)/Authors: Margarida Pereira(1);Isabel Cachapuz(1);Carla Pinto(2)
Afiliação/Membership: (1) ULSM (2) Instituto Politécnico do Porto

Resumo/Abstract:

Introdução: A vitamina D ( vD) e uma pro-hormona esteróide lipossolúvel produzida fotoquimicamente na
pele a partir do 7-desidrocolesterol. A principal forma de armazenamento da vitamina D e a 25- hidroxivitamina D e esta presente no sangue numa concentração de mais de 1:1.000 comparativamente com a 1,25-dihidroxivitamina D. O objectivo deste estudo foi avaliar a relação entre dois métodos de determinação da vD, como parte do processo de implementação deste ensaio.
Materiais e Métodos: Janeiro de 2016; amostras de soro, n=30 (Masculino: 16%; Feminino: 84%),
centrifugadas 5 min a 4000 rpm. Testadas em paralelo, no Serviço de Patologia Clínica ( SPC ) da Unidade Local de Saúde de Matosinhos ( ULSM ) no analisador i2000 Architect da Abbott Diagnostics ® (Quimiluminescência) e Laboratório Externo no analisador Cobas e 411 da Roche Diagnostics®(Electroquimioluminiscência ). Os resultados foram avaliados utilizando método de regressão
Resultados: Abbott Diagnostics®: Média=18.1 ng/dL; Máximo=34.1 ng/dL; Mínimo= 5.6 ng/dL. Roche
Diagnostics ®: Média=16.3 ng/dL; Máximo=34.7 ng/dL; Mínimo= 4.0 ng/dL. A Analise de Regressão Linear evidenciou uma forte correlação entre os dois métodos (r2= 0.95).
Conclusão:
A medição do nível de vD permite intervenções preventivas e terapêuticas na população.
A similaridade dos resultados possibilita a substituição de um método pelo outro, permitindo a internalização da vD na cadeia de automação do SPC da ULSM.
Referências bibliográficas:
1-.Beastall GRS. Vitamin D reinvented: Implications for clinical chemistry. Clinical Chemistry. 2008;54:630-2. 2- Binkley N. Low vitamin D status: Definition, prevalence, consequences and correction. Endocrinol Metab Clin N Am. 2010;39:287-301.
Resumo número/Abstract number:
13
Título da apresentação/Abstract title: ANTIBIÓTICOS: PERFORMANCE NO CONTROLO DE QUALIDADE
EXTERNO DO SERVIÇO DE PATOLOGIA CLÍNICA DA UNIDADE LOCAL DE SAÚDE DE MATOSINHOS

Tema/Theme:
Bioquímica
Autor(es)/Authors: Isabel Cachapuz(1);Margarida Pereira(1);Paulo Silva(1)
Afiliação/Membership: (1) ULSM

Resumo/Abstract:

Introdução: O Controlo de Qualidade Externo (CQE) é interlaboratorial. O resultado (Res) de cada
parâmetro realizado no laboratório participante é comparado com a média de consenso do seu grupo. Para a determinação desta média os Res enviados pelos laboratórios são agrupados para cada parâmetro de acordo com as metodologias utilizadas nos ensaios. Posteriormente procede-se à comparação dos Res de um laboratório com os restantes laboratórios participantes. O CQE assegura que os Res obtidos das Drogas Terapêuticas realizadas se aproximam o máximo do valor real (exatidão) dentro de variabilidade analítica
Objectivos:
Avaliar desempenho dos três antibióticos (AB),Vancomicina (V), Gentamicina(G) e Amicacina
(A), determinados no Serviço de Patologia Clínica da Unidade Local de Saúde de Matosinhos (ULSM) em termos de CQE , Programa Therapeutic Drugs (TDM) do RIQAS® da Randox®.
Material e Métodos:
6 meses (Setembro de 2015-Fevereiro de 2016), determinadas quinzenalmente as
concentrações séricas deV, G e A (Programa TDM) no Abbott Architect c 8000 systems® que utiliza a Quimioluminiscência para determinar V e G e a Turbidimetria para a A. Compararam-se resultados obtidos nos nossos analizadores com obtidos pelo conjunto de Laboratórios que utilizam mesmos
Resultados: V-
Nas 12 amostras (Aa), Índice de Desvio Padrão (SDI) mínimo: 0.1; SDI máximo: +0.64; SDI
médio: 0.25/Target Score (TS) mínimo: 80; TS máximo: 120(7x); TS médio: 115. G- Nas 12 Aa, SDI
mínimo:+0.01; SDI máximo: -0.49; SDI médio: -0.26/ TS mínimo: 75; TS máximo: 120 (6x); TS médio: 114. A-
Nas 12 Aa, SDI mínimo:+0.04; SDI máximo: -1.10; SDI médio: -0.18/ TS mínimo: 72; TS máximo: 120 (6x); TS médio: 105. TS é aceitável se> 50 e SDI também o é se <2.
Conclusões:
A Performance destes três AB de acordo com o CQE do RIQAS® da Randox® revelou-se, no
mínimo, "Bom" e, inúmeras vezes, "Excelente". As metodologias são estáveis. A monitorização de AB é de extrema importância, nomeadamente devido às suas apertadas margens terapêuticas. De acrescentar que comparativamente ao Ciclo anterior (Período: Março 2015-Agosto 2015) constatou-se uma melhoria em todas as Aa. O CQE permite garantir reprodutibilidade dos Res, verificar calibração dos sistemas analíticos e ocorrência de não conformidades que desencadearão ações corretivas.
Resumo número/Abstract number:
15
Título da apresentação/Abstract title: NEM TUDO O QUE PARECE É: A PROPÓSITO DE UM PICO
MONOCLONAL NA ELECTROFORESE CAPILAR

Tema/Theme:
Imunologia
Autor(es)/Authors: ALEXANDRA SOFIA TORRÃO MENDES(1); MARIA ISABEL BAPTISTA FERNANDES (1); ANA
ISABEL MATOS(1); ANA TORRINHA(1); JOÃO FARO VIANA(1) Afiliação/Membership: (1) CENTRO HOSPITALAR DE LISBOA OCIDENTAL, E.P.E.

Resumo/Abstract:

Introdução: o proteinograma é uma das análises de rotina mais solicitadas ao Laboratório de Imunologia e
o primeiro passo na procura de um componente monoclonal, quando existe uma suspeita clínica de gamapatia. A Electroforese Capilar é um método com um alto poder de resolução, elevada sensibilidade diagnóstica e totalmente automatizado; uma das interferências mais frequentes deve-se à administração de contraste radiológico iodado, que aparece como um pico fino na fracção beta1. A sua confirmação requer a revisão do processo clínico, execução de uma imunofixação e eventual solicitação de nova amostra.
Objectivo:
ilustrar alguns desafios na interpretação de proteinogramas.
Caso clínico: doente do sexo feminino, 67 anos de idade, no dia 28 de Novembro de 2015 recorreu ao
Serviço de Urgência do Hospital de São Francisco Xavier por diarreia desde a véspera; no dia 30, foi-nos solicitado o estudo de uma possível doença inflamatória intestinal, que incluía o pedido de um proteinograma. Este revelou um pico fino que migrava entre as fracções alfa2 e beta1, cujo aspecto, conjugado com a informação clínica, nos levou a suspeitar da presença de um contraste. O processo clínico não mencionava a realização de qualquer exame radiológico com contraste, mas a história clínica da doente revelou uma doença renal crónica, anemia normocítica normocrómica de etiologia não definida e lesão traumática da coluna vertebral dorsal em Agosto de 2015. Foi então efectuada uma imunofixação que revelou um componente monoclonal Lambda livre. Posteriormente, a urina revelou uma Bence Jones Lambda, o mielograma medula óssea hipercelular por infiltração de plasmócitos (91%), muitos com distrofias, e a imunofenotipagem da medula óssea 46.7% de plasmócitos em relação à celularidade total, 99.8% dos quais com fenótipo patológico, tendo sido estabelecido o diagnóstico de Mieloma Múltiplo de Conclusões: Este caso demonstra a importância da interpretação de uma electroforese, nomeadamente
capilar, ser efectuada por um profissional experiente, capaz de desencadear provas complementares que permitam alcançar o diagnóstico correcto, sendo para isso também essencial o acesso a uma informação clínica apropriada.
Resumo número/Abstract number:
16
Título da apresentação/Abstract title: Caso Clínico: Infeção por Mycobacterium chelonae associada a

Tema/Theme:
Microbiologia
Autor(es)/Authors: João Pedro Madail(1);Paula Pinto(1);Sandra Bento(1)
Afiliação/Membership: (1) HOSPITAL DISTRITAL DE SANTARÉM, E.P.E.

Resumo/Abstract:

Introdução: As micobactérias de crescimento rápido são agentes associados a uma ampla variedade de
infeções, particularmente em indivíduos com fatores de risco. Abordamos o caso de um doente de 51 anos de idade, seguido em ambulatório de Oncologia do Hospital Distrital de Santarém por história de neoplasia do recto e metastização hepática síncrona ressecada, que era portador de cateter venoso central (CVC) desde 2011 devido a quimioterapia pré e pós-operatória (última administração em setembro 2012). Em abril 2015, iniciou episódios febris coincidentes com a manipulação do CVC até à sua retirada em junho 2015. Concomitantemente, foram-lhe detetados múltiplos micronódulos pulmonares na TAC. Objetivo: Apresentação do contributo da Microbiologia Clínica para a resolução deste caso clínico.
Material e Métodos: Hemoculturas seriadas (incubação e monitorização no sistema BacT/ALERT® 3D), com subcultura em gelose de sangue de carneiro (COS) aquando da deteção automática de crescimento. Sementeira da ponta do CVC em COS pelo método de Maki. Coloração e observação microscópica das culturas pelos métodos de Gram e de Kinyoun. Identificação molecular e antibiograma (TSA) da estirpe em laboratórios externos de referência. Resultados: Ao 4ºdia de incubação, detetaram-se microrganismos pleomórficos ácido-álcool resistentes e
fracamente Gram positivo em hemoculturas obtidas previamente à retirada do CVC. Após 48h das subculturas e da cultura do CVC, obtiveram-se colónias esbranquiçadas, lisas e com consistência cérea. A identificação da estirpe revelou tratar-se de Mycobacterium chelonae sensível à amicacina, à claritromicina e ao linezolide, e resistente à ciprofloxacina e ao sulfametoxazol. Após a retirada do CVC, as hemoculturas de controlo foram negativas e houve remissão completa do quadro clínico e das lesões pulmonares. Conclusões: O papel da Microbiologia Clínica foi essencial para o diagnóstico de infeção sistémica por
Mycobacterium chelonae em doente oncológico, cujo ponto de partida foi o CVC, bem como contribuiu para o diagnóstico diferencial das lesões pulmonares. Este caso reforça a importância da suspeita clínica e laboratorial na deteção de micobactérias de crescimento rápido. Resumo número/Abstract number: 17
Título da apresentação/Abstract title: ESTUDO COMPARATIVO ENTRE TESTES IMUNOQUÍMICOS DE
PESQUISA DE SANGUE OCULTO NAS FEZES PARA A DETEÇÃO DE ADENOMAS DO CÓLON
Tema/Theme: Bioquímica
Autor(es)/Authors: Ana Sofia Cantante Marques (1); Andreia Pereira(2); Catia Piedade(1); Vanessa Silva(1); Catarina
Sousa(1); Silvia Ribeiro (1); Isabel Moutinho(1); Gilberto Couto(3); Marta Manaças(4) ; Helena Proença(4);Paulo Afiliação/Membership: (1) Laboratório Patologia Clínica Hospital Luz/Labco (2) Laboratório de Patologia
Clínica Hospital da Luz/Labco (3) Gastroenterologia do Hospital da Luz (4) Serviço Patologia Clínica Hospital A DGS publicou uma norma sobre o Rastreio Oportunístico do Cancro do Cólon e do Reto que aconselha a prescrição de Testes Imunoquímicos de Pesquisa de Sangue Oculto nas Fezes (IFOBT) aos utentes dos 50 aos 74 anos. Se o IFOBT for positivo, deverá ser prescrita uma colonoscopia total. Objectivo
Identificar o IFOBT com maior sensibilidade (sb) e especificidade (sp) para a deteção de cancro colo-retal (CRC) e de adenomas (CA). Material e Métodos
População: 197 utentes dos 50 - 74 anos Amostras: 197 amostras de fezes. As amostras foram testadas com 9 IFOBT (8 qualitativos e 1 quantitativo): Bionexia FOBplus (Biomérieux), Chemtrue One step FOB test (Shanghai Chemtron Biotech Co, Lda), Clearview FOB (Inverness medical innovations), FOB One step rapid test (Zhejiang Orient Gene Biotech Co, Lda), Hem-Check-1 (A. Menarini diagnostics), Instalert FOB (Innovacon, Inc.), Quick profile fecal occult blood card (Lumiquick diagnostics, Inc), Rapid fecal occult blood test (AccuBioTech Co, Lda) e FOB Gold NG (Sentinel Diagnostics). Registaram-se as colonoscopias destes utentes efetuadas no GHL até 1 ano após a realização do IFOBT. Determinaram-se a sb e sp de todos os IFOBT tendo como referência a Colonoscopia e o Critério de Consenso (amostra positiva - > 50% dos IFOBT positivo). Resultados
Testaram-se 197 amostras de fezes e realizaram-se 34 colonoscopias. 16 evidenciaram adenomas tubulares com displasia de baixo grau. Percentagens de sb e sp para cada kit, respetivamente para colonoscopia e critério de consenso: Bionexia – sb 50/93, sp 89/99; Chemtrue – sb 44/93, sp 93/99; Clearview – sb 19/36, sp 100/100; FOB one step rapid test – sb 62/100, sp 83/84; Hem-Check-1 - sb 19/62, sp 94/99; Instalert - sb 19/64, sp 100/98; Quick profile - sb 64/100, sp 81/96; Rapid occult blood test - sb 47/100, sp 78/97; FOB Gold NG - sb 28/86, sp 89/98. Conclusões
O objetivo de deteção de CRC não foi atingido, mas sim o da deteção de CA. A deteção de CA na colonoscopia implica a sua reseção evitando potencial malignização e desenvolvimento de CRC. Os IFOBT com sb superiores a 40% pelo critério da colonoscopia corresponderam a sb superiores a 90% pelo critério de consenso. Os resultados obtidos sugerem que os kits comerciais com melhor sb nos dois critérios, mantendo no entanto uma boa sp, poderiam ser os kits com o melhor desempenho para a pesquisa de lesões pré
Resumo número/Abstract number:
18
Título da apresentação/Abstract title: DETERMINAÇÃO DOS INTERVALOS DE REFERÊNCIA DO TEMPO DE
PROTROMBINA E DO TEMPO DE TROMBOPLASTINA PARCIAL ACTIVADA

Tema/Theme:
Hematologia
Autor(es)/Authors: Monica Peixe(1);Isabel Galvão(1);Fabíola Rodrigues(1)
Afiliação/Membership: (1) HOSPITAL BEATRIZ ÂNGELO

Resumo/Abstract:

Por norma os laboratórios adotam o intervalo de referência (IR) fornecido pelo fabricante do reagente, embora este nem sempre se adeque à sua população, nem reflita a atualização constante dos métodos e reagentes. Verificou-se que esta prática dificultava a interpretação correta dos resultados do Tempo de Protrombina (PT) e do Tempo de Tromboplastina Parcial Activada (aPTT), sendo recorrente a solicitação de testes adicionais para esclarecer a situação clínica do doente.
Objectivos

Determinar os IR do PT e do aPTT para a população do laboratório. Material e Métodos
Amostra: 209 indivíduos dos 18 aos 82 anos, aparentemente saudáveis (excluídas grávidas e mulheres sob contracetivos), sem patologia crónica conhecida, doença ou internamento recente, selecionados através de inquérito directo a priori. Não foi requerida preparação específica de colheita. As amostras foram colhidas por venopunção (membro superior) para tubos com tampão de citrato trissódico 0.109M (BD Vacutainer®). Garantiu-se o correcto enchimento dos tubos e mistura do sangue com o anticoagulante. As amostras foram transportadas à temperatura ambiente (máximo: 1h) e centrifugadas a 2400g (10'). O processamento (máximo: 4h) realizou-se alternadamente em dois analisadores BCS® XP (Siemens Healthcare Diagnostics). Os reagentes usados para determinar o PT e o aPTT foram, respectivamente, Thromborel® S e Dade®Actin®FS. Paralelamente às amostras foram executados diariamente dois níveis de material de controlo de qualidade interno. Os IR foram definidos através de um método estatístico não paramétrico. Os limites correspondem aos percentis 2.5 e 97.5 da distribuição dos resultados. Para análise de outliers usou-se a regra de Dixon-Reed.
Resultados

IR (95%)(segundos). PT: 10.6 – 13.5; aPTT: 21.4 – 29.9. Intervalos de confiança a 90%; PT: 10.4-10.8, 13.2- 13.8; aPTT: 20.4-22.3, 28.8-31.2.
Conclusões

Os IR obtidos diferem significativamente dos fornecidos pelo fabricante (PT: 9.8 – 12.1, aPTT: 23.0 - 31.9), sobretudo para o PT. A adoção dos novos intervalos veio facilitar a interpretação dos resultados pelos clínicos e permitiu obter vantagens significativas a nível económico, pela diminuição dos custos associados à prescrição desnecessária de outros parâmetros de coagulação.
Resumo número/Abstract number:
19
Título da apresentação/Abstract title: GENETIC TESTING OF IDIOPATHIC METABOLIC DISORDERS BY
TARGETED NEXT-GENERATION SEQUENCING

Tema/Theme:
Genética e Patologia Molecular
Autor(es)/Authors: Catarina Silveira(1) Silveira C, Coutinho AM, Tavares J, Aguiar P, Carmo-Fonseca M
GenoMed, Instituto de Medicina Molecular, Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Lisboa, Afiliação/Membership: (1) GenoMed

Resumo/Abstract:

Introduction: We describe a diagnostic genetic strategy regarding a 44 years old male, with an apparent
hereditary metabolic disorder that affects muscles, liver and spleen. This patient also has an alteration in the lipid profile and epilepsy since childhood. The fol owing possible diagnoses were excluded: Niemann- Pick disease, Lysosomal acid lipase deficiency, Sandhoff disease, Tay-Sachs disease, Mucopolysaccharidoses and Glycogen storage disease.
Methods:
We performed mutation screening of 533 genes by next generation sequencing (NGS). Libraries
were prepared using the Nextera Rapid Capture Target Enrichment (TruSight One kit, Il umina) and run on Il umina NextSeq500. After read alignment using BWA and variant cal ing using GATK, freebayes and samtools, variant annotation was done using an in-house developed pipeline.
Results:
We detected four pathogenic mutations, in heterozygous state. From those, two are in the FMO3
gene (p.Glu158Lys and p.Val257Met) associated with Trimethylaminuria; other one in the HPD gene (p.Thr33Ala) associated with 4-Alpha-hydroxyphenylpyruvate hydroxylase deficiency and one in the LPL gene (p.Asn318Ser) associated with Familial Combined Hyperlipidemia.
Discussion:
Analysis of a large number of candidate genes by NGS proved very useful in establishing the
genetic cause of this patient's disease. Concerning the phenotype and the routine lab results, the mutations in the FMO3 and LPL genes were not considered. The mutation that most likely is causing the phenotype is the p.Thr33Ala in the HPD gene. This is being confirmed with additional biochemical tests. This study, which resulted from a close col aboration between the medical specialist and the molecular biology laboratory, highlights how NGS is transforming clinical genetic diagnosis.
Resumo número/Abstract number:
20
Título da apresentação /Abstract title: CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO DE DOENTES
HIPOCOAGULADOS ORAIS DO GRUPO BMAC

Tema/Theme:
Hematologia
Autor(es)/Authors: Edgar Manuel Amorim Alves Botelho Moniz(1); Mário João Santos(1); Manuel Cyrne
Afiliação/Membership: (1) BMAC

Resumo/Abstract:

Introdução: A monitorização e acompanhamento da terapêutica anticoagulante oral (TAO), correspondem
a uma parcela relevante da carga laboral diária dos Laboratórios BMAC. Assim se comprova a adesão do doente ao esquema terapêutico, e se minimizam possíveis efeitos adversos. É importante neste contexto a caracterização da população sujeita a este tipo de terapêutica. Os Antagonistas da vitamina K são historicamente os medicamentos mais utilizados, sendo os novos anticoagulantes orais (AO) uma alternativa, na prevenção da doença trombo-embólica.
Objectivos
: Caracterização da população de doentes hipocoagulados orais (DHO), acompanhados por um
grande grupo laboratorial português.
Métodos:
Consulta da base de dados do software Appolo CH®Confidentia.

Resultados:
O Grupo BMAC possui na sua base de dados 10.059 DHO. No último ano teve 58.594 controlos
de TAO, o que equivale a 1.105 controlos por semana, ou 221 por dia útil. Dos DHO, 5.597 (55,6%) são mulheres e 4.462 homens ( 44,4%) (Gráfico 1). As idades variam entre os 8 e os 105 anos, sendo a média os
76,2 anos. 9.053 (90%) têm idade igual ou superior aos 60 anos (Gráfico 2). O diagnóstico mais utilizado
para indicação clínica de TAO é o de Fibrilhação auricular (56,9%, n=5.725), seguido pelo Tromboembolismo venoso (10,3%, n =1.040), e pela Doença Valvular Cardíaca (8,3%, n=834) (Gráfico 3). A Varfarina e o
Acenocumarol constituem no seu total 98,6% (n=9.925) dos AO utilizados (Gráfico 4), sendo a maior parte
dos tratamentos de longa duração. A grande maioria desta população apresenta comorbilidades, estando polimedicada . A título exemplificativo, dentro do grupo de DHO com o diagnóstico de Fibrilhação auricular, tivemos 4.748 controlos de TAO durante o mês de Janeiro de 2016. 72% encontravam-se dentro do intervalo 2-3 ± 0,3 de INR, sendo a média de todos os controlos 2,32 e a mediana 2,17 (Gráfico 5).

Conclusões:
O Grupo BMAC, através dos seus Patologistas Clínicos, segue uma grande população de DHO.
Apesar do aparecimento de novos AO, a Varfarina e o Acenocumarol, continuam a ser os mais utilizados. A idade avançada e comorbilidades desta população, em conjunto com as interacções, e margem terapêutica reduzida deste tipo de medicação, tornam essencial o acompanhamento pessoal e personalizado dos DHO.
Resumo número/Abstract number:
22
Título da apresentação/Abstract title: PARANEOPLASTIC LIMBIC ENCEPHALITIS WITH GAD65 ANTIBODIES:
A CLINICAL CASE

Tema/Theme:
Imunologia
Autor(es)/Authors: José Pedro Pereira(1);Maria Filomena Coimbra(1);Maria Cesaltina Lourenço(1)
Afiliação/Membership: (1) Serviço Patologia Clinica IPOLFG EPE

Resumo/Abstract:

Glutamic acid decarboxylase (GAD) is a cytoplasmic enzyme responsible for the synthesis of γ-aminobutyric acid (GABA), the major inhibitory neurotransmitter of central nervous system (CNS). Anti-GAD65 antibodies (GAD65-ab) are related with several neurological syndromes, most recurrently stiff-person syndrome (SPS) and cerebellar ataxia (CA). Other less frequent syndromes are epilepsy, myasthenia gravis, paraneoplastic encephalomyelitis (PEM) and limbic encephalitis (LE). LE is a rare neurological syndrome, with unspecific clinical features, characterised by acute or sub-acute development of seizures, neuropsychiatric changes (irritability, hal ucinations) and short term memory impairment that etiologically can be related to viral infections or autoimmunity In the present work we report a rare case of paraneoplastic LE associated with GAD65-ab in a patient with history of Acute Promyelocitic Leukemia (APL). Briefly, a 21-year old patient with a recent diagnosis of APL treated with chemotherapy and autologous bone marrow transplant and in complete remission presents a new-onset clinical picture of seizures, changes in consciousness state and confusion. The electroencephalogram (EEG) showed moderate paroxistic activity with right frontal predominance and the magnetic resonance imaging presented signal changes in left hippocampus with clear signal intensity increase in fluid-attenuated inversion recovery weighted images. The cerebrospinal fluid analysis showed the presence of oligoclonal bands in immunofixation, and no significant biochemical or cellular changes. PCR for main viruses was negative. The assessment of autoantibodies against neuronal antigens showed the presence of GAD65-ab. The patient was treated with γ-globulin, methylprednisolone and plasmapheresis, resulting in symptomatic and imagiological improvement. This case shows the importance of GAD65-ab assessment in autoimmune LE cases, despite their rare association. Its identification and titration al ows the choice of best treatment and evaluation of response.
Resumo número/Abstract number:
23
Título da apresentação/Abstract title: MONITORIZAÇÃO TERAPÊUTICA DE TACROLIMUS: ESTUDO
COMPARATIVO DE DOIS ENSAIOS
Tema/Theme:
Bioquímica
Autor(es)/Authors: Paula R Pacheco(1);Ricardo Rodrigues (1);Ana Margarida Pacheco(1);Luis Sequeira Dias
(1);João Esteves(1);Karyne Hyde(1) Afiliação/Membership: (1) Hospital Divino Espirito Santo

Resumo/Abstract:

Introdução: O Tacrolimus é um fármaco imunossupressor da classe dos inibidores de calcineurina. É
utilizado principalmente após transplante de órgão para reduzir a atividade do sistema imune e, assim, reduzir o risco de rejeição. A forma mais eficaz de assegurar uma terapêutica imunossupressora adequada para o transplante de órgãos sólidos consiste na monitorização das concentrações de tacrolimus no sangue total e na interpretação das concentrações juntamente com outros dados de laboratório e considerações
Materiais e métodos:
Foram avaliadas 150 amostras aleatórias de pacientes transplantados, aos quais foi
prescrito o doseamento de Tacrolimus para monitorização terapêutica e 15 amostras de controlo externo de qualidade (UK NEQAS International Proficiency Testing Scheme). Para esta análise comparativa foram utilizados dois métodos para a determinação quantitativa de Tacrolimus em sangue total humano. O Architect Tacrolimus (Abbott) é um imunoensaio de um passo retardado, através da tecnologia CMIA (chemiluminescent microparticle immunoassay) com um protocolo de ensaio que necessita de pré- tratamento manual. O Dimension® TAC (Siemens) é um imunoensaio automatizado que utiliza a técnica de ACMIA (affinity chrome-mediated immunoassay)) e que não necessita de pré-tratamento da amostra.
Resultados:
As amostras estudadas estão incluídas no intervalo de doseamento dos dois métodos CMIA
(1.5 a 30 ng/mL) e ACMIA (1.0 a 30 ng/mL). A análise comparativa dos 150 doentes permitiu estabelecer uma boa correlação entre as técnicas CMIA e ACMIA para doseamento de Tacrolimus (r=0.96). As 15 amostras de controlo externo de qualidade (UK NEQAS International Proficiency Testing Scheme) foram comparadas com o método de referência HPLC/MS tendo-se obtido uma correlação de r=0.97.
Conclusões:
O novo ensaio Tacrolimus da Siemens demonstrou uma boa correlação (r=0.96) com o método
implementado no Serviço de Patologia do HDES, com a vantagem de ser necessário menor volume de amostra (15 µL vs 200 µL), ter umTTFR menor (15 min vs 30 min + tempo de pré-tratamento), facilitar o processamento das amostras e a inclusão deste parâmetro na rotina diária do serviço pois não necessita de pessoal especializado para o doseamento de Tacrolimus.
Resumo número/Abstract number:
24
Título da apresentação/Abstract title: Desempenho dos Participantes no Diagnóstico da malária incluído
no Programa Nacional de Avaliação Externa da Qualidade em Morfologia Parasitária
Tema/Theme:
Parasitologia
Autor(es)/Authors: Cláudia Júlio(1);Helena Correia(1);Ana Cardoso(2);Mariana Barreira(3);Cristina
Brito(1);Teresa Baptista Fernandes(4);Quirina Santos Costa(5);Ana Faria(1) Afiliação/Membership: (1) Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (2) Instituto Nacional Saúde Dr
Ricardo Jorge (3) Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (4) CENTRO HOSPITALAR LISBOA OCIDENTAL (5) Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa
Resumo/Abstract:

A Malária é uma doença parasitária que afeta 40% da população mundial e a causa mais frequente de síndrome febril em viajantes. O Programa Nacional de Avaliação Externa da Qualidade (PNAEQ), inserido no Departamento de Epidemiologia do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, tem implementado entre outros, o programa de morfologia parasitária desde 1995, contemplando a avaliação microscópica das espécies de Plasmodium que infetam humanos. Este programa conta com o apoio dum grupo de trabalho cuja principal atividade é a seleção de amostras, análise de resultados e elaboração de relatórios técnico-científicos promovendo a formação e a melhoria contínua do desempenho dos técnicos/especialistas de laboratórios de análises clínicas. Este estudo retrospetivo avalia, o desempenho dos participantes no período de 1995 a 2016 (1º trimestre), relativamente à identificação das 4 espécies de Plasmodium, incluídas em amostras de sangue e distribuídas aos participantes em 3 ensaios anuais. As respostas recebidas foram alvo de análise estatística qualitativa, tendo em conta o parasita, o seu estadio e o modo de quantificação. No período em estudo observamos uma variação no número de laboratórios participantes [44 – 128], sendo o valor médio de 88. A percentagem de resultados corretos para a identificação das 4 espécies foi de: P. falciparum 77,3%, P. malariae 77%, P. ovale 65,3% e P. vivax 70,3%. Nos dois ensaios em que foi enviada uma amostra contendo duas espécies de Plasmodium (P. ovale e P. malariae), a percentagem de resultados corretos diminuiu (7%). No entanto, houve uma percentagem substancial de laboratórios que identificaram pelo menos uma das espécies (21% P. ovale e 49% P. malariae). Apesar dos resultados revelarem uma relativa facilidade na identificação das diferentes espécies, sugerem igualmente uma necessidade de formação contínua dos participantes, no que respeita à identificação dos diferentes estadios das 4 espécies de Plasmodium.
Resumo número/Abstract number:
25
Título da apresentação/Abstract title: AUDITING IN PREANALYTICAL PHASE – AN AUTOEVALUATION OF

Tema/Theme:
Pré-Analítica
Autor(es)/Authors: Ana Cardoso(1)
Afiliação/Membership: (1) Instituto Nacional Saúde Dr Ricardo Jorge

Resumo/Abstract:

In international literature, several studies describe pre-analytical phase as more prone to errors due to the manual y intensive activities like col ection, handling, transportation, preparation and storage of specimens. Since 2007, PNAEQ provides a program on pre-analytical phase with a transversal evaluation of the laboratory testing process and not only the frequently surveyed analytical phase. In 2014, in collaboration with Labquality Oy, were launched 4 specific schemes in this area: phlebotomy and POCT units, blood gas analysis, clinical chemistry and microbiology. The main objective of implementing audits for pre-analytical phase is to involve laboratories in the evaluation process, giving them tools for their own evaluation.
Material and Methods

In 2016 scheme, it was proposed to laboratories to audit their own pre-analytical phase concerning on 3 main issues: patient and specimen identification procedure, phlebotomy technique and healthcare worker safety. To validate the audit form, a pilot study was performed and showed good practice. Questions related to patient and specimen identification procedure showed good practice in general. Questions related to phlebotomy technique deserve swift action by laboratories, which should implement corrective and preventive actions. Questions related to healthcare worker safety should be an issue that ought to have continual improvement, since almost half of the participants are in default with the Portuguese legislation. Conclusion
The education of healthcare workers should be an issue that laboratories should not neglect, in order to reach harmonization of col ection procedures and to fulfil with regulations in force. The implementation of this type of schemes gives the laboratory the main role in evaluation of their own performance, as well as in improving the service quality and issues related to biosafety.
Resumo número/Abstract number:
26
Título da apresentação/Abstract title: Testosterona livre – Comparação de resultados obtidos por
Quimioluminescência com os obtidos por Radioimunoensaio Tema/Theme: Métodos Analíticos
Autor(es)/Authors: Cristina Marcelo(1);Jorge Nunes(2);Manuel Pimenta(2);Patrícia Carrola(2);Carlos
Afiliação/Membership: (1) Dr. Joaquim Chaves, Laboratório de Análises Clínicas (2) Lab. Dr. Joaquim Chaves
(3) JCS, Dr. Joaquim Chaves, laboratório de Análises Clínicas O doseamento da Testosterona livre (TL) é importante em casos suspeitos de hipo ou hiperandrogenismo. O método de referência é o equilíbrio de diálise cuja complexidade não é adequada ao laboratório de rotina pelo que é habitualmente usado o Radioimunoensaio (RIA). Objetivos
Comparação dos resultados do doseamento da TL efetuado por um novo método de Quimioluminescência (QL) com o efectuado por RIA. Material e Métodos
Foi efectuado o doseamento por RIA e por QL em amostras aleatórias com pedido de TL, de utentes do Laboratório Dr. Joaquim Chaves. RIA: reagente "Free TESTO-RIA-CT" da Diasource e Contador Gama "Wallac Wizard 1470". QL: reagente "MAGLUMI free Testosterone (CLIA)" e equipamento automático Maglumi 800 da Shenzhen New O tratamento estatístico dos resultados foi efectuado com o EXCEL e usada a "Correlação de Pearson" e o "TesteT" para comparação de populações. Resultados
Foram ensaiadas por ambos os métodos amostras de 25 indivíduos do sexo feminino com idades compreendidas entre os 12 e os 67 anos e 41 do sexo masculino com idades compreendidas entre os 12 e A correlação de Pearson obtida entre ambos os métodos foi de P=0.92. Os resultados obtidos por QL são significativamente mais elevados do que os obtidos por RIA (BIAS=225% e T<0.001). No entanto, a concordância dos resultados tendo em conta os respetivos valores de referência é de 89%. A variação intersérie calculada em 19 amostras foi de 7.8% (Média de CV%). Consideramos algumas limitações do método de QL como a curta estabilidade das amostras, o fornecimento de apenas um nível de controlo interno de qualidade (de concentração elevada), e o facto dos valores de referência propostos não contemplarem a diminuição fisiológica da TL com a idade. Verificamos também insuficiência na informação constante da documentação do fabricante, nomeadamente a ausência de data no documento que possibilite a monitorização eficaz de alterações com implicações nos programas de Gestão da Qualidade. Apresenta vantagens face a RIA como sendo a rapidez do resultado e a automatização do processo Conclusões
Este método de QL apresentou boa correlação com a RIA e boa variação intersérie. Apesar dos resultados obtidos por QL serem muito mais elevados, a concordância com os valores de referência propostos é de
Resumo número/Abstract number:
27
Título da apresentação/Abstract title: Alergia inalante – Resultados dos alergenos mais frequentemente
Tema/Theme: Imunologia
Autor(es)/Authors: Cristina Marcelo(1);Patrícia Carrola(2);Jorge Nunes(2);Manuel Pimenta(2);Carlos
Afiliação/Membership: (1) Dr. Joaquim Chaves, Laboratório de Análises Clínicas (2) Lab. Dr. Joaquim Chaves
(3) JCS, Dr. Joaquim Chaves, laboratório de Análises Clínicas A alergia inalante é uma das mais importantes: pela sua frequência, pelo facto de perdurar pela vida adulta e pela dificuldade na evicção da maioria dos alergenos. Objetivos
Análise dos resultados do doseamento de IgE específica para alergenos inalantes mais frequentemente requisitados ao Laboratório Dr. Joaquim Chaves, em 2015. Importância dos resultados superiores à linearidade do método (>100 kUa/L). Material e Métodos
Foram analisados retrospetivamente os resultados da IgE específica, durante o ano de 2015, para as seguintes categorias: ácaros, pólens de gramíneas, de ervas infestantes e de árvores; e ainda caspa de cão e O doseamento de IgE específica foi efetuado por Ensaio imunofluorimétrico (FIA) usando o equipamento "Phadia 250" da "Thermofisher scientific". Resultados
Foram analisados 19861 resultados dos quais 33% foram positivos. Dentro dos positivos, 9% (n=574) foram superiores à linearidade do método e foi efetuada diluição da amostra com resultado médio de 244 kUa/L e em 5% dos casos obtivemos resultados superiores a 500 kUa/L. No caso do Dermatophagoides pteronissynus, 15% dos resultados positivos têm concentração >100 kUa/L e 11% para o Lepydoglyphus destrutor e o Lol ium perenne. Nos ácaros, o alergeno mais pedido foi o Dermatophagoides pteronyssinus (n=4478), seguido do Dermatophagoides farinae (3420) e do Lepidoglyphus destructor, com resultados positivos em 47%, 42% e 45%, respetivamente. Para os pólens de gramíneas, a Dactylis glomerata (1728), o Lolium perenne (808) e o Phleum pratense (504) a IgE foi positiva em 32%, 35% e 49% dos casos, respetivamente. Nos pólens de ervas infestantes, a Artemisia vulgaris (1037), a Parietaria judaica (495) e a Parietaria officinalis (481), a IgE específica foi positiva em 13%, 18% e 8% dos casos. Nas árvores, o pólen da oliveira foi o mais pedido (1769), seguido do plátano (357) e do pinheiro (204) com positividade de 26%, 15% e 5%, respetivamente. Foram ainda efetuados 1834 doseamentos de IgE para caspa de gato e 1736 para caspa de cão com 20% e 16% de resultados positivos, respetivamente. Conclusões
Os resultados obtidos confirmam a elevada prevalência de alergia inalante na população. Há uma percentagem significativa de resultados muito elevados, importantes na monitorização, que justificam a diluição da amostra.
Resumo número/Abstract number:
28
Título da apresentação/Abstract title: AVALIAÇÃO DO EFEITO DA CONCENTRAÇÃO DA HEMOGLOBINA NA
DETERMINAÇÃO DA HEMOGLOBINA GLICADA

Tema/Theme:
Bioquímica
Autor(es)/Authors: Ana Carolina Queiroz(1); Anália do Carmo(1); Fernanda Fontes(1); João Mariano
Pego(1); Rui Tomé(1); Fernando Rodrigues(1) Afiliação/Membership: (1) Serviço de Patologia Clinica, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra

Resumo/Abstract:

Introdução: A diabetes mel itus (DM) é uma doença cuja incidência tem vindo a aumentar. A norma da DGS
refere que a determinação da hemoglobina glicada A1c (HbA1c) deverá ser efetuada por rotina, para avaliar o controlo glicémico de doentes com DM. Vários estudos referiram que a determinação da HbA1c é alterada pela anemia sendo por isso importante avaliar a relação entre a determinação da HbA1c e a concentração de hemoglobina (cHb).
Material e métodos:
Estudo retrospetivo, institucional, baseado na recolha dos valores da HbA1c e de
parâmetros hematológicos, nomeadamente a cHb em todas as análises efetuadas nos últimos 10 anos. Considerando a cHb, os dados obtidos foram organizados em 3 grupos: anemia ligeira, moderada e grave. Para avaliar as diferenças entre os grupos e o grau de correlação entre a cHb e a HbA1c utilizou-se o teste t- student e a determinação do coeficiente de correlação por aplicação do software SPSS. Considerou-se o valor p<0,05 como estatisticamente significativo.
Resultados:
A recolha de dados permitiu determinar a existência de 97301 análises, das quais 54146 foram
realizadas em homens e 43155 em mulheres. Nas análises realizadas nos homens, 32% apresentavam cHb <13 g/dl (11,4 ±1,3 g/dl) e um valor médio de HbA1c de 6,8±1,6 %. Nas análises com cHb > 13g/dl a concentração média de Hb foi de 14,7±1,1g/dl e o valor de HbA1c de 6,7± 1,6%. Em 28% das análises realizadas em mulheres a concentração média de Hb foi inferior a 12g/dl (10,7±1,0 g/dl) apresentando a HbA1c um valor médio de 7,0±1,8 %. Nas análises com cHb >12g/dl, realizadas nas mulheres, a concentração média de Hb foi de 13,45±0,9 g/dl e a HbA1c apresentou um valor de 6,7±1,8 % (p<0,05). A comparação dos diferentes grupos de anemia confirmou que nos doentes com baixa cHb o valor de HbA1c era superior ao valor obtido em doentes sem anemia. No entanto, o valor do coeficiente de correlação entre a cHb e o valor de HbA1c foi reduzido variando entre -0,1 e 0,1.
Conclusão: Os resultados deste estudo confirmam que a cHb pode influenciar o valor de HbA1c. Num
doente diabético o aumento da HbA1c pode não ser indicativa de mau controlo metabólico mas estar associado à diminuição da cHb sendo por isso importante efetuar a determinação da HbA1c e da cHb.
Resumo número/Abstract number:
29
Título da apresentação/Abstract title: EVALUATION OF DoE ALGORITHM PERFORMANCE FOR NON-
INVASIVE SCREENING OF ANEUPLOIDIES (COMPARED TO TRADICIONAL MoM ALGORITHM)
Tema/Theme:
Bioquímica
Autor(es)/Authors: Luis C Rodrigues(1);Patrícia Silva(1);Conceição Cardoso(1);João Mário Figueira(1)
Afiliação/Membership: (1) Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental

Resumo/Abstract:

Prenatal screening for aneuploidies started at CHLO in 1998 with the 2nd trimester Double test. We introduced in 2003 the Integrated test but replace it in 2012 by 1st trimester Combined test. Biochemical assays are performed with TRACE technology (Brahms Kryptor Systems) and the risk is calculated on FastScreen software, which uses, to assess the outlyingness of biochemical measurements, the degree of extremeness (DoE) and not the traditional multiple of median (MoM ). DoE algorithm was developed by Fetal Medicine Foudation Germany. Algorithm characteristics are published. Cut-off used to define a positive test is 1: 250 in trisomy 21 and 1: 150 in trisomy 13/18. OBJECTIVE
To audit the performance of our prenatal screening program and to compare results with those of former Integrated test and goals defined in literature. MATERIAL AND METHODS
We reviewed al screening tests conducted in CHLO between October 2012 and March 2016. Demographics and risk calculation results are taken from the FastScreen program database. Obstetrical and pathological records were used to identify true positives. Tests with incomplete information were excluded. Results displayed include maternal age, false positive rate, detection rate and uptake rates for invasive diagnosis and termination of pregnancy. Were performed 3463 Combined tests. Positive tests were 160 but only 144 have follow-up information. Maternal age is high (average 31.7 ± 5.2 years), as expected. False positive rate and detection rate were respectively 3.0% and 86% for trisomy 21 and 2.1% and 100% for trisomy 13/18. CONCLUSIONS
Results with DoE algorithm are comparable with those obtained previously with Integrated test in with results reported in the literature, namely those of MoM algorithms.
Resumo número/Abstract number:
30
Título da apresentação/Abstract title: EVALUATION OF TWO ALGORITHMS FOR DIAGNOSIS OF EPSTEIN-
BARR VIRUS PRIMARY INFECTION

Tema/Theme:
Microbiologia
Autor(es)/Authors: Luis C Rodrigues(1);Patricia Novaes Silva(1);Conceição Cardoso(1);João Mário
Afiliação/Membership: (1) Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental

Resumo/Abstract:

Epstein-Barr virus (EBV) serology is mainly used to identify primary infection. Have been proposed 2 algorithms for diagnostic approach: the anti-VCA approach, in witch study continues if at least one of the markers, IgG or IgM, is reactive; and the anti-EBNA approach, in witch study continues only if anti-EBNA marker is negative. Most hospital laboratories do the ful panel or use the anti-VCA approach. In CHLO we use the ful panel. It was expect that about 70% of routine serum samples originate from patients with past EBV infection, since the seroprevalence rate is as high as 95 % among elderly individuals. Most cases of past infection also show reactivity to anti-VCA IgG antibodies, so it is expected that anti-VCA approach would trigger more sequels than the anti-EBNA approach, and wil have more costs. OBJECTIVE
To evaluate if the use of the anti-EBNA approach prevents the identification of important clinical situations. MATERIAL AND METHODS
We have retrospectively applied both screening algorithms to al EBV serology results done in CHLO between January 2013 and December 2015. Diagnoses obtained with each one were compared with those obtained with the other one and by applying the ful panel. Samples with incomplete or indeterminate results were excluded. The anti-VCA approach would prevent the use of anti-EBNA screening in 3.9% of al cases. The anti-EBNA approach would prevent the use of anti-VCA screening in 95.7% of al cases. We have also analysed the distribution of several patterns: acute infection, past infection and those of difficult interpretation: no expression of anti-VCA IgM or anti-EBNA, persistence of anti-VCA IgM, reactivation. We have also evaluated the clinical relevance of serological patterns that would be lost with algorithms implementation. CONCLUSION
The use of anti-EBNA antibodies approach is acceptable to primary infection diagnosis. Ful panel must be used when reactivation is suspected.
Resumo número/Abstract number:
31
Título da apresentação/Abstract title: ESTUDO DA PREVALÊNCIA DAS IgGS PARA O VÍRUS DA RUBÉOLA
EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE COM RECURSO AOS "GUTHRIE CARDS"

Tema/Theme:
Microbiologia
Autor(es)/Authors: Vera Geraldes Vicente(1);Cristina Caroça(2);Maria Jesus Chasqueira(3);Paulo Paixão(3)
Afiliação/Membership: (1) Dr. Joaquim Chaves , Laboratório de Análises Clínicas (2) HOSPITAL CUF INFANTE
SANTO (3) CEDOC, Centro de Estudos de Doenças Crónicas, NOVA Medical School
Resumo/Abstract:

A rubéola é uma doença viral contagiosa, geralmente benigna que afeta essencialmente crianças. Nas grávidas, a sua transmissão ao feto pode originar a morte deste ou a síndrome da rubéola congénita. São Tomé e Príncipe é um dos países onde a vacina para a rubéola ainda não está implementada. Durante Missões Humanitárias em São Tomé e Príncipe verificou-se uma elevada prevalência de surdez, que poderá ter como etiologia a infeção por este vírus. Alguns estudos de seroprevalência para outros vírus têm recorrido à utilização dos "Guthrie cards" (DBS), dado que estes são de fácil colheita e armazenamento e requerem quantidades mínimas de amostra de sangue capilar. Objetivo:
Determinar a prevalência da IgG para o vírus da rubéola numa população de São Tomé e Príncipe, recorrendo à utilização dos DBS, validando previamente o método. Material e Métodos:
População: 173 indivíduos do sexo feminino e 143 do sexo masculino de São Tomé e Príncipe, com idades compreendidas entre 2 e 35 anos. Destes foram colhidos os respetivos DBS (316 no total) entre Janeiro e Método de extração de IgG: eluição de 32 mm2 do DBS (1h/600 rpm, seguido de 16h/4ºC). Doseamento de IgG: SERION ELISA classic Rubella Virus IgG. Validação do método: Avaliação da sensibilidade e especificidade (comparação com resultados obtidos com Resultados:
Validação do método: sensibilidade: 83%; especificidade: 100%. Das 316 amostras analisadas 101 foram negativas (<10 UI) , 203 positivas ( >15 UI) e 12 borderline (10-15 UI). A prevalência das IgGs para o vírus da rubéola em São Tomé e Príncipe foi de 65%. No nosso estudo os DBS mostraram resultados comparáveis com a metodologia de referência, podendo ser utilizados para estudos de vigilância epidemiológica em regiões com recursos laboratoriais limitados. A seroprevalência da rubéola nesta população de São Tomé e Príncipe foi elevada, sugerindo que as infeções naturais continuam a ser muito comuns nesta região, podendo ser responsáveis por alguns dos problemas encontrados nesta população.
Resumo número/Abstract number:
33
Título da apresentação/Abstract title: UM CASO CLINICO – PROVÁVEL COLANGITE BILIAR PRIMÁRIA

Tema/Theme:
Imunologia
Autor(es)/Authors: Nadiya Kruptsala(1);Rita Monteiro(2);Catarina Coelho(3)
Afiliação/Membership: (1) Centro Hospitalar de BaixoVouga, Aveiro (2) Centrop Hospitalar do Baixo Vouga,
Aveiro (3) Centro hospitalar do Baixo Vouga, Aveiro
Resumo/Abstract:

INTRODUÇÃO: O diagnóstico de patologias hepato-biliares autoimunes (PHA) exige a aplicação de
diferentes testes e metodologias para a pesquisa e identificação dos autoanticorpos (AAc) associados. O conhecimento destes testes e a interpretação dos resultados são fundamentais para o seu diagnóstico ou exclusão. Pretende-se com a apresentação deste caso clínico ilustrar o papel do Patologista Clínico na escolha dos testes e métodos mais adequados garantindo a qualidade dos resultados correta interpretação e integração no contexto clínico. OBJETIVO: Estudo clínico-laboratorial de caso clínico
CASO CLINICO: Um homem de 80 anos internado por quadro de encefalopatia hepática com antecedentes
de cirrose hepática de etiologia desconhecida. Sem história de hábitos alcoólicos ou toxicodependência. Dados imagiológicos concordantes com cirrose hepática, hipertensão portal e presença de derrame Achados laboratoriais compatíveis com o quadro de insuficiência hepática: trombocitopenia, hiponatrémia, hipoalbuminémia com elevação das enzimas hepáticas e da bilirrubina. Serologias de hepatites virais negativas. Hipergamaglobulinémia policlonal. O Clínico solicitou a pesquisa de anticorpos antinucleares e anticitoplasmáticos (AAN) que foi realizada por imunofluorescência indireta (IFI) em substrato de células HEp-2 e revelou-se positiva com padrão nuclear de múltiplos pontos nucleares e citoplasmático sugestivo de anticorpos antimitocondriais (AMA). Parente os resultados obtidos por IFI e informação clínica fornecida o Patologista Clínico procedeu à selecção dos testes e métodos para identificação de AAc associados a PHA.
Os testes confirmaram a presença de AMA – M2 e identificaram anticorpos antipiruvato desidrogenase e Sp 100 compatíveis com colangite biliar primária (CBP). CONCLUSÃO: Apesar do diagnóstico de CBP ser baseado no quadro clínico, a identificação de AAc revela-se
importante e fundamental, sobretudo os AMA que são considerados marcadores imunológicos específicos para esta patologia. A escolha do algoritmo desse estudo é essencial na abordagem da doença hepática de causa desconhecida. A evolução técnico-científica envolvida no laboratório requer do Patologista Clínico mais conhecimentos para assegurar e melhorar a avaliação e valorização dos testes laboratoriais.
Resumo número/Abstract number:
34
Título da apresentação/Abstract title: HEMOCULTURAS - TRATAMENTO ESTATÍSTICO GRUPO UNILABS
PORTUGAL

Tema/Theme:
Microbiologia
Autor(es)/Authors: Maria do Rosário Pires da Cruz Barros(1);Andrea Maria Gonçalves Afonso(1);Maria
Alexandra Guedes Rocha Gomes(1);Paulo Jorge Lamoso Laranjeira(1) Afiliação/Membership: (1) Unilabs/Medicina Laboratorial Dr.º Carlos Torres SA

Introdução
A identificação rápida e precisa dos microrganismos na corrente sanguínea e consequente orientação na antibioterapia são de extrema importância no diagnóstico e tratamento da sépsis. A hemocultura efetuada corretamente, no contexto e altura adequados, livre de contaminantes é uma ferramenta de diagnóstico essencial para um resultado válido clinicamente.
Objetivo

Averiguar quais os microrganismos mais frequentemente isolados em hemoculturas dos utentes do conjunto de Laboratórios, Postos de Colheita e Hospitais que constituem o universo Unilabs – Portugal.
Material e Métodos

Estudo, realizado de Janeiro de 2013 a Abril de 2016 com os dados laboratoriais e hospitalares a serem utilizados para determinar as taxas de positividade, prevalência das estirpes e dados demográficos dos Incubação e leitura das garrafas de hemoculturas (BacT/ALERT FA Plus, SN, PF Plus) no BacT/ALERT 3D bioMérieux. Subculturas em Gelose Columbia + 5% de sangue de carneiro e Gelose Chocolate+PolyVitex. Identificação e antibiograma no Vitek2 bioMérieux com as cartas GN, GP, YST, ANC, AST-N244, AST-N222, AST-P586 ,AST-P619 e AST-ST01.
Resultados

505 hemoculturas positivas para um total de 2694 analisadas, sendo 1463 homens e 1231 mulheres. Principais estirpes identificadas: 190 Outros ScoN, 122 Staphylococcus epidermidis, 50 Escherichia coli e 28 Staphylococcus aureus. Prevalência de bacilos Gram negativo: 20% nas mulheres e10% nos homens.
Conclusão

Confirmação da importância crescente dos ScoN como potenciais agentes da verdadeira bacteriémia. Necessidade de cuidados no momento da colheita do sangue, para que a contaminação possa ser reduzida, aumentando-se o poder discriminatório das infeções causadas por estirpes ScoN. Predomínio de bactérias Gram positivas sobre as Gram negativas. Maior prevalência de bacilos Gram negativos isolados nas hemoculturas nas mulheres.
Resumo número/Abstract number:
35
Título da apresentação/Abstract title: Eficácia de dois ensaios de cadeias leves livres em soro no
diagnóstico de diferentes gamapatias monoclonais
Tema/Theme:
Métodos Analíticos
Autor(es)/Authors: Maira Rebol ido Fernandez(1);Luis Peréz Suaréz(1);Tiago Moreira Pais(2);Nuno
Afiliação/Membership: (1) Lab Central, Hospital Clinico de Santiago, Espanha (2) The Binding Site

Resumo/Abstract:

Recentemente tornou-se disponível um novo ensaio de cadeias de leves livres (CLL) que utiliza anticorpos monoclonais. No entanto, as recomendações das guias internacionais para o uso das CLL no diagnóstico, prognóstico e seguimento de doentes de gamapatias monoclonais (GM) assenta quase exclusivamente em estudos realizados com o ensaio Freelite que utiliza anticorpos policlonais.
Objetivo: comparar o desempenho dos dois ensaios de CLL no soro.

Métodos:
69 pacientes com GM previamente diagnosticadas (20 GMSI, 1 SMM, 42 Mieloma Multiplo (MM),
2 NHL, 2 AL e 2 plasmocitomas) foram analisadas com ambos os ensaios: Freelite (The Binding Site, UK) num turbidimetro SPA+, e N-Latex (Siemens) num nefelómetro BNI . A concordância entre os dois ensaios foi avaliada pela análise de correlação considerando significativos os valores de R2> 0,95, de acordo com as recomendações das guias dos Clinical and Laboratory Standards Institutes (EP09-A2-IR).
Resultados:
64 das amostras tinham quocientes k/L alterados por Freelite e 51 por N Latex. As 13 amostras
negativas por N-Latex e positivas por Freelite eram de 6 GMSI, 6 MM e 1 plasmocitoma. As correlações dos valores obtidos para os 69 soros com os dois ensaios de CLL foram: CLL-k, declive 0,6467 e R²=0,5532; CLL-L, m=0,9077 e R²=0,6557; relação k/L, m=0,0601 e R²=0,2447. Analisando por separado os pacientes em função do tipo de CLL monoclonal obtiveram-se as seguintes correlações: CLL-k monoclonal, m=0,6118 e R²=0,4804; CLL-k policlonal, m=1,2711 e R²=0,9622; CLL-L monoclonal, m=0,8944 e R²=0,5885; CLL-L policlonal, m=1,8249 e R²=0,8718.
CONCLUSÕES:
Não foi encontrada correlação significativa entre os valores reportados pelos dois ensaios.
Das 13 amostras com quociente normal por N Latex e alterado por Freelite, 7 correspondiam a doentes com doença maligna sugerindo uma menor sensibilidade diagnóstica para o ensaio monoclonal NLatex recentemente comercializado. Os restantes 6 soros discrepantes pertenciam a GMSI, significando que neste caso, 30% da população seria estratificada de maneira diferente àquela que se obtém com Freelite. Os resultados mostram que os ensaios não são intercambiáveis e que por isso as recomendações internacionais baseadas em valores de referencia podem não se aplicar ao novo ensaio monoclonal NLatex
Resumo número/Abstract number:
36
Título da apresentação/Abstract title: ALTERAÇÕES DA HEMÓSTASE NA LEUCEMIA PROMIELOCÍTICA
Tema/Theme: Hematologia
Autor(es)/Authors: Ana Carolina Queiroz(1);Anália do Carmo(1);Catarina Chaves(1);João Mariano
Pego(1);Fernando Rodrigues(1) Afiliação/Membership: (1) Serviço de Patologia Clinica, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra

Resumo/Abstract:

INTRODUÇÃO: A leucemia promielocítica aguda (LPA) é atualmente classificada pela Organização Mundial
de Saúde como LPA com t (15; 17) (q22; q12); PML-RARa e é frequentemente acompanhada por alterações da hemóstase. Na patogénese da coagulopatia da LPA intervêm: a expressão de ativadores de coagulação, a ativação da fibrinólise e a libertação de citocinas e protéases. A principal causa de mortalidade da LPA advém de complicações hemorrágicas.
OBJETIVOS
: Avaliação das alterações da hemóstase e eventos hemorrágicos aquando do diagnóstico da LPA
e determinação da correlação entre os dados laboratoriais e as manifestações clínicas.
MATERIAL E MÉTODOS:
Estudo retrospetivo, institucional, baseado na recolha de parâmetros hemostáticos
e análise de processos clínicos de 80 doentes com diagnóstico de LPA, entre Janeiro de 2004 e Dezembro de 2015. O diagnóstico de LPA foi confirmado pela presença do gene de fusão PML-RARa, t(15;17). Considerando a clínica hemorrágica dos doentes, os dados obtidos foram organizados em 3 grupos: sem clínica hemorrágica, clínica hemorrágica moderada e clínica hemorrágica grave. Para avaliar o grau de correlação entre os parâmetros hemostáticos e a clínica hemorrágica foram determinadas médias, +/- desvio padrão, correlações e modelos de regressão linear usando o software SPSS.
RESULTADOS
: Verificou-se que cerca de 63% dos doentes apresentavam prolongamento do Tempo de
Protrombina (TP) e 4% prolongamento do Tempo de Tromboplastina Parcial Ativada (TTPA). Em 68% dos doentes a concentração de fibrinogénio foi <2.0g/L e em 100% dos doentes houve elevação do valor de d- dímeros. Em todos os casos a contagem de plaquetas foi inferior a 150.109/L, com 80% dos doentes com valores inferiores a 50.109/L. Ocorreram 48 episódios hemorrágicos em 37 doentes (46%), com 9 doentes a apresentarem manifestações hemorrágicas em >1 localização. Por regressão linear verificou-se não existir correlação entre os parâmetros hemostáticos e a clínica hemorrágica (R2 aproximadamente 0).
CONCLUSÕES:
Os resultados deste estudo confirmam que a LPA é com frequência acompanhada por
alterações da hemóstase. Todos os doentes com LPA apresentaram níveis baixos de plaquetas e níveis aumentados de d-dímeros. Os parâmetros hemostáticos nos doentes com LPA não foram preditores de clínica hemorrágica.
Resumo número/Abstract number:
38
Título da apresentação/Abstract title: COMPARISON OF THE NEW IGA HEAVY/LIGHT CHAIN
IMMUNOASSAY WITH SERUM PROTEIN ELECTROPHORESIS FOR MONITORING MULTIPLE MYELOMA
PATIENTS

Tema/Theme: Hematologia
Autor(es)/Authors: Ladan Adie(1);Oscar Berlanga(1);Tiago Moreira Pais(2);Hugh Carr-Smith (1);Stephen
Afiliação/Membership: (1) The Binding Site UK (2) The Binding Site

Resumo/Abstract:

BACKGROUND: Serum protein electrophoresis (SPEP) and total immunoglobulin (tIg) measurements are
recommended for quantification of monoclonal Ig (M-Ig) in the studie of Multiple Myeloma (MM) patients by international guidelines. However, SPEP may be inaccurate below 1g/dL or when M-Ig co-migrates with other normal serum proteins. tIgA is an accurate method but unable to distinguish monoclonal from polyclonal Igs. The new Hevylite immunoassay quantifies heavy + light chain immunoglobulin pairs (e.g. IgAk or IgAL) and may provide an alternative method of quantifying M-Igs.
Objective: to compare the performance of these assays with traditional methods.

METHODS:
HLC IgAκ and IgAλ and the respective ratios (HLCr) were quantified in 61 MM (37 IgAκ, 24 IgAλ)
patient sera. The results were compared to historic SPEP and tIgA concentrations. RESULTS: At presentation all 61 patients had an abnormal HLCr allowing the quantification of all involved HLC (iHLC) Igs (median (range) IgAκ MM= 3.4 g/dL (0.6-7.9); IgAλ MM= 2.9 g/dL (0.6-7.2)). By contrast, M- IgA bands were measurable by SPE in just 66% (40/61) of the patients. iHLC changes showed a good agreement with changes in SPE (y=1.31x+0.025, R2=0.87) and tIgA (y= 0.94x-0.03, R2=0.90). Weighted Kappa analysis showed a good agreement between the responses assigned by iHLC and SPE/tIgA (89% agreement, WK (95% CI): 0.92 (0.84-1.00)).
CONCLUSIONS:
The recommended methods for monitoring M-Ig concentrations present limitations due
to sensitivity and technical issues such as co-migrating protein bands. The HLC immunoassays provide a valid alternative method of quantifying M-Ig in MM patients.
Resumo número/Abstract number:
39
Título da apresentação/Abstract title: AVALIAÇÃO DO RISCO DE EVENTOS CARDÍACOS ADVERSOS APÓS
MEDIÇÃO ÚNICA DE TROPONINA DE ALTA SENSIBILIDADE: ESTUDO PROSPECTIVO DE 6 MESES
COMPARANDO 3 ENSAIOS DIFERENTES

Tema/Theme:
Bioquímica
Autor(es)/Authors: João Gonçalo Frade(1);Luís Leite(2);Celeste Pontes(2);João Pego(2);Fernando
Afiliação/Membership: (1) Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (2) CHUC (3) Serviço de Patologia
Clinica, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Resumo/Abstract:

Introdução: A nova geração de ensaios de troponina de alta sensibilidade (TnI) tem limites de detecção
mais baixos. As indicações de 2015 da Sociedade Europeia de Cardiologia (ESC) para avaliação de síndromes coronários agudos sem elevação do segmento ST incluem algoritmos de inclusão e exclusão, baseados no tipo de ensaio de TnI.
Objectivos:
Este trabalho visou avaliar a validade diagnóstica e prognóstica de 3 ensaios diferentes de TnI
em doentes admitidos no SU.
Métodos:
Foi realizado um estudo de coorte prospectivo com 548 doentes, admitidos no SU em Julho de
2015, com suspeita de síndrome coronário agudo e solicitação de um teste de TnI. A quantificação foi realizada nas amostras seleccionadas usando o ensaio de rotina Siemens Dimension EXL Troponin (DIM) e em paralelo através dos ensaios Abbott Architect hs Troponin (ARC) e Roche Elecsys Troponin T hs (ELE), sendo apenas comunicado o resultado de rotina. Na avaliação estatística foram usadas a curva ROC (receiver operator characteristics) e a área sob a curva.
Resultados:
O diagnóstico final em 25 doentes foi EAM de tipo I, 9 dos quais com elevação do segmento ST.
Com apenas uma medição de troponina, aquando da admissão no SU, não se verificou uma precisão estatisticamente diferente entre ensaios, tendo o ensaio ELE apresentado uma precisão numericamente superior aos ensaios ARC e DIM. Considerando o percentil 99, um resultado positivo no ensaio DIM (15,3% doentes) apresentou uma especificidade mais alta para o ponto de corte combinado que um resultado positivo no ensaio ARC (27,6% doentes) ou um resultado positivo no ensaio ELE (28,6% doentes). Doentes com valor indoseável no ensaio DIM (73,5% doentes) apresentaram 3 eventos de ponto de corte (1 EAM, 1 revascularização coronária não programada, 1 morte por causa cardiovascular); doentes com valor indoseável nos ensaios ARC (6,7% doentes) ou ELE (37,0% doentes) não apresentaram quaisquer eventos em fol ow-up. Assim, o valor predictivo negativo para valores indoseáveis nos ensaios ARC e ELE foi superior ao obtido com valores indoseáveis no ensaio DIM.
Conclusão:
Os ensaios de TnI de nova geração demonstram uma especificidade relativamente baixa para
eventos cardíacos adversos. Contudo, estes ensaios poderão constituir uma metodologia simples e segura para a sua exclusão após medição única no SU.
Resumo número/Abstract number:
40
Título da apresentação/Abstract title: COMPARISON OF THE PERFORMANCE OF THE NEWLY DEVELOPED
IGG HEAVY CHAIN / LIGHT CHAIN IMMUNOASSAYS WITH SERUM PROTEIN ELECTROPHORESIS FOR
MONITORING IGG MULTIPLE MYELOMA

Tema/Theme:
Métodos Analíticos
Autor(es)/Authors: Ladan Adie(1);Oscar Berlanga(1);Nuno Barbosa(2);Hugh Carr-Smith (1);Stephen
Afiliação/Membership: (1) The Binding Site UK (2) The Binding Site

Resumo/Abstract:

BACKGROUND: The study of multiple mieloma patients according to International guidelines is based both
on serum protein electrophoresis (SPEP) and total immunoglobulin assays (tIg) to quantify monoclonal immunoglobulins (M-Ig). However, SPEP may be inaccurate at low (<10g/L) and also due to dye saturation at high concentrations (>20-30 g/L) of M-Ig. The tIg assay, by contrast, is an accurate test but is not able to differentiate between monoclonal and polyclonal immunoglobulins which limits its sensitivity at concentrations approaching the normal range. Newly available assays quantifying heavy/light chain immunoglobulin pairs may offer a solution to the limitations of the recommended assays. Here, the performance of these assays are studied and compared to EPS and tIg as tools to monitor MM patients. METHODS: HLC IgGκ and IgGλ concentrations were measured nephelometrical y in 127 MM (87 IgGκ, 40
IgGλ) patient sera. Results were compared to published normal ranges (IgGκ: 4.03-9.78 g/L, IgGλ: 1.97-5.71 g/L, IgGκ/IgGλ: 0.98-2.75), historic SPEP and immunofixation results; Weighted Kappa and Pearson correlation were used to analyse results. RESULTS: At presentation, al 127 patients had a quantifiable band by SPE (median (range): 38 g/L (11-82)). Similarly al 127 patients had an abnormal HLCr and involved HLC (iHLC) concentrations (median (range) IgGκ: ratio 56 (6-1275), iHLC 32 g/L (14-102); IgGλ: ratio 0.024 (0.001- 0.329), iHLC 34.5 g/L (9.3-90.3)). Pearson correlation indicated a good agreement between SPE and iHLC concentrations at presentation and during fol ow up (y=0.83x+1.8, R2=0.87). A good agreement was also shown between the changes in SPE and iHLC concentrations during fol ow up (y=0.87x-0.05, R2=0.83). Weighted Kappa analysis showed substantial agreement between the responses assigned by either changes in SPE and iHLC (81% agreement, Weighted Kappa (95% CI): 0.78 (0.56-1.00)) or changes in SPE and HLCr (71% agreement, Weighted Kappa (95% CI) 0.74 (0.56-0.92)). CONCLUSIONS: The recommended monitoring methods present limitations mainly due to sensitivity and
technical issues. The HLC immunoassays provide an alternative method of quantifying M-Ig in patients with
Resumo número/Abstract number:
41
Título da apresentação/Abstract title: INCIDÊNCIA DAS GAMAPATIAS MONOCLONAIS NA POPULAÇÃO
ABRANGIDA PELA REDE DE LABORATÓRIOS DO GRUPO BMAC

Tema/Theme:
Imunologia
Autor(es)/Authors: Telma Walgode(1);Manuel Carvalho(1);Mário João Santos(1);Helena Fernandes(1);Ana
Rita Poças(1);Mafalda Carvalho(1);Carina Maciel(1);Cláudia Alves(1);Helena Oliveira(1) Afiliação/Membership: (1) BMAC

Resumo/Abstract:

Introdução: As Gamapatias Monoclonais (GM) são um grupo de doenças associadas a proliferação não
controlada de um clone de plasmócitos. A sua expressão é a produção de uma imunoglobulina completa ou de uma das cadeias.
Objectivo
: Este estudo teve como objectivo a revisão casuística das GM estudadas na população abrangida
pelos Laboratórios do grupo BMAC.
Material e Métodos
: Estudos de electroimunofixação, realizados em utentes dos nossos laboratórios,
durante o ano de 2015.
Resultados
: Foram incluídas 856 amostras, 710 em soro e 146 em urina. Obtivemos 286 amostras de soro
positivas para o componente monoclonal (CM): 151 (52,8%) do sexo masculino e 135 (47,20%) do sexo feminino, com uma idade média 75 anos. Em relação aos fenótipos diagnosticados, 68,9% eram da classe G (n=197), 15,4% (n=44) da classe M e 14% (n=40) da classe A. A frequência das cadeias leves foi de 54,90% para Kappa (n=157) e 43,4% (n=124) para Lambda. Nas patologias de cadeias leves livres detectaram-se 2 (0,7%) cadeias kappa livres e 3 (1,0%) cadeias Lambda livres. Das 9 amostras de urina com CM, 5 (55,6%) eram do sexo masculino e 4 (44,5%) do sexo feminino, com uma idade média 85 anos. Em relação ao fenótipo diagnosticado, 22,2% (n=2) eram da classe G. Quanto às cadeias leves de imunoglobulinas, a frequência das cadeias Kappa e lambda foi para ambas de 11,1% (n=1). Na patologia de cadeias leves livres detectaram-se 5 (55,5%) cadeias kappa livres e 2 (22,2%) cadeias lambda livres.
Conclusões
: A incidência das GM, em termos do fenótipo mais frequente, coincide com o descrito na
literatura, sendo a IgG a proteína monoclonal mais frequente. A contribuição do laboratório para o estudo de GM é crucial para um diagnóstico e acompanhamento correcto. O diagnóstico de GM envolve a realização de uma electroforese de proteínas séricas e urinárias, seguida, caso se suspeite de um CM, de um teste imunoquímico que permita identificar o isótipo de imunoglobulina implicada no CM, com posterior quantificação. A interpretação da electroforese das proteínas é essencial, uma vez que uma percentagem significativa de GM é diagnosticada no laboratório por meio da detecção de um CM na electroforese.
Resumo número/Abstract number:
42
Título da apresentação/Abstract title: PREVALÊNCIA DE ESBL E KPC EM ESCHERICHIA COLI E KLEBSIELLA
PNEUMONIAE NO LABORATÓRIO BMAC – ANÁLISE RETROSPECTIVA DE 2011 A 2015

Tema/Theme:
Microbiologia
Autor(es)/Authors: Sofia Botelho Moniz(1);Ana Rita Silva(1);Clara Correia(1);Ana Torrinha(1);Ana Maria
Pereira(1);José Couto Amorim(1) Afiliação/Membership: (1) BMAC

Resumo/Abstract:

INTRODUÇÃO: Os antibióticos B-lactâmicos constituem a principal classe de antibióticos usados na prática
clínica. No entanto, o seu uso indiscriminado provocou a emergência de estirpes resistentes produtoras de beta lactamases de espectro estendido (ESBLs), multirresistentes a várias classes de antibióticos. A sua facilidade de disseminação originou um aumento na utilização de antibióticos de última linha, carbapenemos. Como consequência, estão a aparecer estirpes produtoras de carbapenemases, colocando novos desafios na terapêutica e no controlo de infecção.
OBJECTIVO: Análise retrospectiva de Janeiro de 2011 a Dezembro de 2015, de isolados de Escherichia coli e
Klebsiel a pneumoniae produtores de ESBLs e Carbapenemases (KPC).
MATERIAL E MÉTODOS: Todas as estirpes de Escherichia coli e Klebsiella pneumoniae produtoras de ESBL e
KPC isoladas no Laboratório de Microbiologia Clínica (BMAC) foram incluídas no estudo através da consulta do Appolo® (Confidentia). Identificação bacteriana: CPS ID2 e/ou Vitek2®(Biomérieux); Antibiograma: Método de difusão com discos e microdiluição em caldo (Vitek2®), de acordo com as guidelines do EUCAST.
RESULTADOS: Estudaram-se 45952 estirpes de Escherichia coli e Klebsiel a pneumoniae, isoladas quase
exclusivamente de urinas de pacientes da comunidade e de diferentes grupos etários. Das estirpes produtoras de ESBL(n=3229), 1879 eram Escherichia coli e 1350 Klebsiella pneumoniae. No período em análise, as estirpes de Escherichia coli produtoras de ESBL aumentaram 2%, enquanto as de Klebsiel a pneumoniae sofreram um aumento de 16,3%. Em 2015, isolaram-se 22 estirpes de Klebsiel a pneumoniae produtoras de KPC, provenientes de urinas (95,5%), de unidades prestadoras de cuidados de saúde (86,4%) e de idosos com internamento hospitalar
CONCLUSÃO: As ESBL e mais recentemente as KPC com a sua mutiresistência associada, colocam sérios
problemas de saúde pública, pois as opções terapêuticas ficam limitadas e/ou inexistentes. A evolução das resistências e a indefinição da fronteira ambulatório/hospitalar obriga a maior vigilância e a adopção de medidas radicais nas práticas de controlo de infecção. Resumo número/Abstract number: 43
Título da apresentação/Abstract title: USO DE ÍNDICES DE MENTZER, ENGLAND AND FRASER E % DE GR
MICROCÍTICOS/% GR HIPOCRÓMICOS NO DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE ANEMIAS MICROCÍTICAS

Tema/Theme:
Hematologia
Autor(es)/Authors: Clara Moniz(1);Olga Silva(1);Elisabete Oliveira(1);Manuel Carmo(1);Maria José
Almeida(1);Filipa Ferreira(1);Mário João Santos(1);Manuel Carvalho(1) Afiliação/Membership: (1) BMAC

Resumo/Abstract:

O diagnóstico diferencial das anemias microcíticas é complexo e a sua investigação laboratorial tem um custo elevado. O uso de índices para racionalizar a abordagem diagnóstica tem sido proposto para contornar essa problemática.
Objetivo:

Avaliar a utilidade para diagnóstico de rastreio dos índices de Mentzer, England and Fraser e da razão %GRmicrocíticos/%GRhipocrómicos (a que chamamos índice ADVIA por apenas ser obtido com esse equipamento) na diferenciação entre síndrome talassémico e deficiência em ferro, como complemento da avaliação morfológica do esfregaço de sangue periférico.
Métodos:

Selecionamos 48 amostras com índice de Mentzer < 13 às quais se determinou a Hb A2 por eletroforese capilar. Assumimos como valor de corte para o diagnóstico da síndrome talassémico HbA2 ≥ 4%. Simultaneamente, avaliamos na mesma população o índice de England and Fraser e o índice ADVIA.
Resultados:

O índice de Mentzer permitiu identificar corretamente 77,1% (37 em 48) dos casos como relacionados com síndrome talassémico. O índice de England and Fraser mostrou uma sensibilidade de 75,68% para síndrome talassémico. No que respeita ao índice ADVIA encontramos uma sensibilidade de 91,89% para síndrome
Conclusões:

O índice de Mentzer revelou-se um instrumento útil, rápido, sem custos e de fácil acesso para rastreio de síndrome talassémico nas anemias microcíticas. O índice ADVIA foi aquele que mostrou melhores resultados quanto à sensibilidade, especificidade e valores preditivo positivo e negativo; por isso, julgamos que pode ser uma ferramenta útil na abordagem inicial do diagnóstico diferencial da anemia microcítica. Resumo número/Abstract number: 44
Título da apresentação/Abstract title: INFECÇÃO CUTÂNEA POR MICOBACTERIUM CHELONAE APÓS
MESOTERAPIA - O CONTRIBUTO DO LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA CLINICA

Tema/Theme:
Microbiologia
Autor(es)/Authors: Sofia Botelho Moniz(1); Ana Rita Silva(1); Clara Correia(1); Ana Torrinha(1); Ana Maria
Pereira(1); José Couto Amorim(1) Afiliação/Membership: (1) BMAC

Resumo/Abstract:

INTRODUÇÃO: Nos últimos anos tem aumentado o interesse nos procedimentos cosméticos não cirúrgicos.
A mesoterapia apresenta-se como um procedimento alternativo à cirurgia, que envolve a injecção intradérmica de pequenas quantidades de diversas substâncias que estimulam a derme e o tecido celular subcutâneo. Apesar do risco associado a estes procedimentos ser teoricamente baixo, têm sido reportados múltiplos casos de infecções da pele e tecidos moles por micobactérias não tuberculosas de crescimento rápido (MNTCR) secundárias a estes tratamentos .
OBJECTIVO: Apresentação de diagnóstico microbiológico de infecção por Micobacterium chelonae a partir
de lesões cutâneas após tratamento cosmético de mesoterapia, destacando o contributo do laboratório de Microbiologia Clínica.
CASO CLÍNICO: Paciente do sexo feminino que desenvolve lesões cutâneas, abcedadas, com localização
abdominal após mesoterapia. As amostras colhidas por punção aspirativa foram enviadas para exame microbiológico: exame directo e cultural nos meios habituais (gelose sangue e MacConkey). Verificou-se o crescimento de pequenas colónias rugosas no exame cultural após 96h de incubação. A coloração de Gram permitiu concluir que se tratava de bacilos de Gram positivos difteromorfos e álcool ácido resistentes quando corados por Ziehl-Neelsen. A recolha de informação clínica determinou a realização de exame cultural em meio de Lowenstein Jensen após descontaminação (NAC), com crescimento de colónias sugestivas de micobactérias numa semana de incubação. Identificação da micobactéria por PCR de hibridação reversa como Micobacterium chelonae.
CONCLUSÃO: A crescente procura de tratamentos estéticos associada a uma deficiente regulamentação
das clínicas e dos produtos utilizados nestas terapias alternativas provocou um aumento das complicações infeciosas por MNTCR . A complexidade do diagnóstico e tratamento exige uma estreita comunicação entre o clínico e o laboratório por forma a orientar a investigação laboratorial na procura do agente etiológico
Resumo número/Abstract number:
45
Título da apresentação / Abstract title: SEROLOGIA DA TOXOPLASMOSE, RUBÉOLA E CITOMEGALOVÍRUS-
ANÁLISE DA CASUÍSTICA BMAC NA ZONA DO GRANDE PORTO, EM 2015

Tema/Theme:
Imunologia
Autor(es)/Authors: Sílvia Mariana dos Santos Moreira(1);Filipa Mesquita(1);Joaquim Costa(1);Ana
Lima(1);Carla Silva(1);Manuel Cyrne de Carvalho(1);Mário João Santos(1) Afiliação/Membership: (1) BMAC

Resumo/Abstract:

Introdução: A toxoplasmose (TOXO) é uma infeção causada pelo parasita Toxoplasma gondi . A Rubéola
(RUB) e o Citomegalovírus (CMV) são infeções víricas. Os 3 agentes podem causar infeção primária em grávidas, o que pode resultar na transmissão vertical do parasita/vírus com graves riscos para o desenvolvimento fetal. O diagnóstico pode ser efetuado por testes serológicos. Objectivo: Análise de resultados dos anticorpos (Ac) da classe G (IgG) e Ac da classe M (IgM) para TOXO,
RUB e CMV com o intuito de avaliar e refletir acerca do estado de proteção/imunização da população feminina em idade fértil, que recorreu em 2015 aos serviços BMAC no grande Porto. Material e métodos: Analisaram-se 7675 resultados de estudos serológicos de infeção por Toxoplasma
gondii, 5003 por RUB e 2403 de CMV, requisitados em mulheres entre os 15 e os 49 anos de idade. As amostras de soro analisaram-se pelo método de quimioluminescência direta (Centaur XP e Liaison XL). Resultados: Concluiu-se que 18,81% dos casos de TOXO, 71,87% de CMV e 93,92% de RUB tinham Ac IgG
positivos e Ac IgM negativos. A ausência de IgG e IgM verificou-se em 78,48% dos casos para TOXO, 24,64% para CMV e 3,22% para a RUB. Os valores percentuais de 1,78 para TOXO, 0,5 para CMV e 2,58 para RUB correspondem a um baixo título de IgG, o que não permite afirmar pelo contacto anterior com o agente/imunidade. Por fim, 0,91% dos pedidos para TOXO, 2,99% para CMV e 0,28% para RUB são positivos para IgM podendo corresponder a infeção recente, infeção passada, reação cruzada ou reinfeção. Conclusões: A elevada % de mulheres suscetíveis à TOXO, confirma a necessidade de uma vigilância
serológica na gravidez. A prevenção da infeção congénita pela RUB assenta na manutenção de elevados níveis de imunidade, assumimos que, principalmente, devido à vacinação. Para o CMV verifica-se que cerca de 25% das mulheres não tem evidência de infeção passada, o que enfatiza a necessidade de um maior controlo deste grupo, através da vigilância serológica.
Resumo número/Abstract number:
46
Título da apresentação/Abstract title: Utilidade dos índices de Mentzer, England and Fraser e % GR
microcíticos/% GR hipocrómicos na avaliação laboratorial das anemias microcíticas
Tema/Theme:
Hematologia
Autor(es)/Authors: Clara Moniz(1);Olga Silva(1);Elisabete Oliveira(1);Manuel Carmo(1);Maria José
Almeida(1);Filipa Ferreira(1);Mário João Santos(1);Manuel Carvalho(1) Afiliação/Membership: (1) BMAC

Resumo/Abstract:

As causas mais comuns de anemia microcítica são a deficiência em ferro (carência e/ou deficit de utilização) e síndromes talassémicos. A diferenciação entre microcitose talassémica e não talassémica tem implicações clínicas e terapêuticas importantes. Têm sido propostos como auxiliares na distinção entre estes dois distúrbios diversos índices baseados nos parâmetros do eritrograma.
Objetivo:
Avaliar a utilidade dos índices e fórmulas de Mentzer, England and Fraser e %GRmicrocíticos / %GRhipocrómicos (denominamos como índice ADVIA por ser exclusivo desse equipamento) para o diagnóstico diferencial entre síndrome talassémico e deficiência em ferro.
Métodos:
Calcularam-se os índices de Mentzer, England and Fraser e ADVIA em 65 amostras selecionadas para revisão do esfregaço de sangue periférico a partir da rotina laboratorial por apresentarem anemia microcítica. Determinou-se a respetiva % da Hb A2 por eletroforese capilar. O valor de corte definido por defeito para o diagnóstico de síndrome talassémico foi uma HbA2 ≥ 4%. Para cada parâmetro foram calculados os valores preditivos positivo e negativo assim como o índice de
Resultados:
O índice Mentzer foi o que apresentou uma maior sensibilidade (97,37%) para síndrome talassémico, seguindo-se o índice ADVIA (92,11%) e por fim o índice England and Fraser (73,68%). A % corretamente diagnosticada foi mais alta para o índice ADVIA (90,8%), a que se seguiu o índice Mentzer O índice Youden foi mais alto para o ADVIA (81), seguindo-se o England and Fraser (58,86) e por fim o Mentzer (56,63).
Conclusões:
Os índices calculados com base em alguns parâmetros do eritrograma têm bom poder discriminatório para a suspeição diagnóstica de síndroma talassémico e é recomendado o seu uso como auxiliar na seleção de amostras a testar reflexamente para evidenciar % Hb A2 elevada. O índice Mentzer obteve uma especificidade mais baixa (59.26%) para síndrome talassémico, o que significa um número razoável de amostras falsas positivas que se submeteram a eletroforese da hemoglobina.
Resumo número/Abstract number:
47
Título da apresentação/Abstract title: ESTUDO DA INCIDÊNCIA DE INFEÇÕES POR NEISSERIA
GONORRHOEAE E A PREVALÊNCIA DE RESISTÊNCIAS AOS ANTIMICROBIANOS

Tema/Theme:
Microbiologia
Autor(es)/Authors: Alexandra Rodrigues (1) ; Graça Trigueiro (1) ; Ivone Pires (1) ; Sílvia Rodrigues (1) ;
Catarina Vieira (1); Sónia Soares (1); Carlos Cardoso(2) Afiliação/Membership: (1) Dr Joaquim Chaves, Laboratório de Análises Clínicas (2) JCS, Dr. Joaquim Chaves,
laboratório de Análises Clínicas
Resumo/Abstract:

Introdução: Neisseria gonorrhoeae é uma bactéria que se transmite por contacto sexual e é responsável
pela gonorreia, que se caracteriza por uretrite, cervicite, faringite ou proctite. A gonorreia é a segunda causa bacteriana mais notificada de infeção sexualmente transmissível na Europa, a seguir à infeção por Chlamydia trachomatis. Para além da elevada incidência de infeções por N. gonorrhoeae, esta bactéria evidencia uma capacidade extraordinária de desenvolver resistências a múltiplas classes de antibióticos, o que constitui um desafio importante para a saúde pública.
Objetivo:
Este estudo tem como objetivo avaliar a incidência de infeções por N. gonorrhoeae, assim como o
respetivo perfil de resistências aos antimicrobianos nos utentes do laboratório entre 2007 e 2015.
Material e Métodos:
Foram analisadas 150 607 amostras, 4 893 exsudados uretrais e 145 714 vaginais. As
amostras foram semeadas em meio Gelose VCAT3 e incubadas a 35-37Cº em 5% CO2 durante 48h. A observação de diplococcos de Gram - intracelulares e a utilização de cartas de ID no VITEK® 2 permitiram a identificação. O antibiograma foi realizado pelo método de Eteste, de acordo com as normas EUCAST, e foram testadas a Penicilina, Ciprofloxacina e Ceftriaxona.
Resultados:
Do total de amostras analisadas (150 607) observou-se uma maior incidência de infeções no
homem (0,199%) do que na mulher (0,042%). Das 4893 amostras de exsudados uretrais estudados, obtiveram-se 6,1% de amostras positivas e observou-se um aumento de 4,5% para 7,8% de 2007 para 2015. A maior incidência de infeções verificou-se no grupo etário dos 25 aos 34 anos.O estudo de suscetibilidade aos antimicrobianos revelou uma diminuição significativa da sensibilidade quer à Ciprofloxacina (61% para 32%) quer à Penicilina (39% para 8%) de 2007 para 2015. Quanto à Ceftriaxona, não foram encontradas
Conclusões:
Os resultados obtidos revelam um aumento significativo da incidência das infeções por N.
gonorrhoeae nos últimos anos. O estudo de susceptibilidade revelou que dos três antibióticos testados, a Ceftriaxona é, sem dúvida, o antibiótico de primeira escolha. Quanto à Penicilina e Ciprofloxacina, obtiveram-se elevados índices de resistência o que revela uma elevada prevalência de estirpes resistentes a estes antibióticos.
Resumo número/Abstract number:
48
Título da apresentação/Abstract title: PROBLEMÁTICA DAS INFECÇÕES PÓS ANTIBIOTERAPIA EM
DOENTES ONCOLÓGICOS

Tema/Theme:
Microbiologia
Autor(es)/Authors: Jorge Reis(1);Nuno Gonzaga(1);Paula Gama(1);Maria Alexandre Durães(1);Paula
Jacinto(2);Frederico Valido(1) Afiliação/Membership: (1) SPC IPOC FG EPE (2) OM IPOC FG EPE

Resumo/Abstract:

Nas últimas décadas, as infeções têm-se tornado a primeira causa de morte em pacientes oncológicos, especialmente aqueles com neutropenia prolongada. O risco de infeção é inversamente proporcional à contagem de neutrófilos, sendo que este risco aumenta quanto maior for o período de neutropenia. Objetivos
Neste trabalho aborda-se a problemática das infeções pós antibioterapia em doentes oncológicos apresentando-se um estudo de caso de um doente de 65 anos com diagnóstico de carcinoma epidermoide invasivo do esófago. Material e Métodos
Cultura em gelose de Columbia (5% sangue de carneiro), gelose de Chocolate com Polivitex. Coloração de Gram. Identificação e TSA VITEK® 2 Compact. Resultados
Doente traqueostomizado, efetuou radioterapia descompressiva, a fazer quimioterapia paliativa, surge a 10 de Março com frebre neutropénica. Instituiu-se antibioterapia com Amoxicilina/Ácido Clavulânico intravenosa durante dez dias. A 14 de Março de 2016 colheu expetoração (cultura polimicrobiana) e sangue (cultura negativa) para análise microbiológica e iniciou Meropenem por suspeita de pneumonia. A 16 de Março efetuou nova colheita de expetoração sob antibioterapia com Meropenem, tendo-se identificado um Staphylococcus aureus (MRSA). Foi associado Cotrimoxazol à terapêutica instituída. Dia 21 de Março recebemos nova amostra de expetoração, onde foi identificado novamente um Staphylococcus aureus (MRSA). Foi alterada a terapêutica com introdução de Linezolide associado ao Cotrimoxazol. A 29 de Março foi repetido estudo microbiológico em amostra de expetoração, tendo-se identificado Serratia marcescens (resistente à Amoxicilina/Ácido Clavulânico) e Stenotrophomonas maltophilia. Com este resultado procedeu-se à suspensão da terapêutica instituída e iniciou Levofloxacina. A 7 de Abril foi enviado ao Laboratório ponta de cateter para estudo microbiológico, tendo o resultado da cultura sido negativa. Doente recebeu alta a 24 de Abril com prescrição de Ciprofloxacina. Conclusões
A antibioterapia empírica, obrigatória em situações de febre neutropénica por forma a reduzir riscos de morbilidade e mortalidade, não é isenta de complicações. A diminuição da flora comensal causada pela antibioterapia facilita o acesso de bactérias patogénicas, aumentando o risco de infeções ou sobreinfeções.
Resumo número/Abstract number:
49
Título da apresentação/Abstract title: RASTREIO PRÉ-NATAL DE CROMOSSOMOPATIAS (trissomia 21 e 18)
NO 1º TRIMESTRE: AVALIAÇÃO DE METODOLOGIA E REVISÃO DE CASUÍSTICA

Tema/Theme:
Genética e Patologia Molecular
Autor(es)/Authors: Ana Jacome Ramos(1);Telma Walgode(1);Helena Fernandes(1);Rita Poças(1);Manuel
Carvalho(1);Mário João Santos(1) Afiliação/Membership: (1) BMAC

Resumo/Abstract:

Introdução: O protocolo adotado de rastreio combinado de 1º trimestre (RPN 1ºT) inclui o doseamento dos
marcadores bioquímicos Beta-Gonadotrofina coriónica livre (free-βHCG) e Plasma proteína-A associada à gravidez (PAPP-A) no soro da mulher grávida entre a 11ª e a 13ª semana mais 6 dias de gestação e a realização em simultâneo de um exame ecográfico para medir a translucência da nuca do feto (TN) e presença de osso nasal (ON).
Objetivo:
Este trabalho consiste na revisão de casuística de Rastreio Pré-natal combinado de 1º trimestre
dos últimos 3 anos (2012-2015) e concomitante avaliação de desempenho técnico do método utilizado.
Método:
Foram realizados 2097 RPN´s de 1º trimestre. Os valores dos marcadores bioquímicos e
ecográficos, bem como os dados relevantes para o efeito da gestante (peso, idade, fumadora, etc.) foram introduzidos no software para cálculo de risco de cromossomopatias associado à gravidez. No caso de um resultado positivo, o laboratório ofereceu um exame de diagnóstico genético – a amniocentese.
Resultados:
Das 2097 gestações estudadas, 52 apresentaram um risco aumentado para cromossomopatias.
Os resultados de cariótipo fetal de 31 casos permitiram diagnosticar 4 casos de trissomia 21 (T21), 1 caso de trissomia 18 (T18) e um caso de triploidia. A elevada taxa de deteção do nosso teste foi comprovada pelo diagnóstico correto dos 3 casos esperados teoricamente atendendo às caraterísticas da nossa população. Para um cut-off de 1/315 para síndrome de Down e 1/100 para T18 e T13, a taxa de falsos positivos é de 2,2% e a especificidade do nosso método é de 97,8%.
Conclusões:
Este trabalho permitiu concluir que os nossos resultados estão de acordo com a literatura e
que o método utilizado para a realização de rastreio combinado de 1º trimestre está perfeitamente otimizado de acordo com os parâmetros aceites internacionalmente.
Resumo número/Abstract number:
50
Título da apresentação/Abstract title: QUALIDADE ANALÍTICA NO LABORATÓRIO DO SÉCULO XXI.
OTIMIZAÇÃO DE UMA CARTA DE CONTROLO INTERNO EM 3 LABORATÓRIOS DE DIMENSÃO E ÂMBITO
DIFERENTES.

Tema/Theme:
Controlo da Qualidade
Autor(es)/Authors: Carlos Vaz(1);Paulo Vieira(2);Jorge Pinheiro(3);Albina Filomena Marques(2)
Afiliação/Membership: (1) Laboratório Pioledo (2) LAC-GAIA (3) CENTRO HOSPITALAR LEIRIA-POMBAL, EPE

Resumo/Abstract:

Introdução: Apesar de excessivamente permissivo, o erro definido pelo Laboratório Clínico é muitas vezes o
fornecido pela bula do fabricante. A experiência mostra que a realidade operacional supera muitas vezes a precisão indicada pelo fabricante.
Objetivos: Apresentar 3 realidades diferentes que, seguindo o mesmo procedimento de otimização de
controlos de qualidade interno do Serviço de Patologia Clínica do Centro Hospitalar de Leiria EPE (SPC), baseado na métrica da incerteza de medição associada à variabilidade biológica, conseguem determinar o impacto clínico de cada doseamento e assegurar a mesma confiança dos resultados para os 3 laboratórios.
Material e Métodos
: É extraído o requisito operacional de qualidade analítica, a partir dos requisitos
clínicos presentes nas Normas de Orientação Clínica (NOC) 066/2011(DIS) e 005/2013 (SCORE), da Direção Geral de Saúde, para o processo de otimização das cartas de controlo de qualidade interno do colesterol total (ColT) no Laboratório Pioledo (LP), no Laboratório LAC-GAIA (LG) e os dados já conhecidos do SPC. É calculado o impacto no paciente da estratificação do risco cardiovascular SCORE (RCV), usando a fórmula de cálculo do número de amostras necessárias para determinar o COLT perto de D% do ponto homeostático real do paciente (PHR) (n = [Z x (CV 2 A + CVI )1/2/D]2). É calculada a incerteza máxima de medição (CV%máx) real de trabalho para o ColT, permitida na carta de controlo de qualidade interno, para cada método e equipamento em cada um dos 3 laboratórios, e comparado o risco de decisão clínica com a incerteza máxima de medição permitida pelas cartas de controlo interno originais.
Resultados e Conclusões
: Tal como no SPC, nos Laboratórios LP e LG obtemos CV%máx=4%, para
doseamentos de ColT >190 mg/dL (cut-off NOC DIS) e por isso com 2 amostras (NOC DIS) determinámos a média de ColT perto de 9% do ponto homeostático real do paciente. Na NOC SCORE conseguimos assegurar a não sobreposição dos alvos 4, 5 e 6 mmol/L ColT, ao mesmo tempo que garantimos apenas uma sobreposição unilateral entre os alvos clínicos 6-7 e 7-8 mmol/L de ColT. O Processo de otimização das cartas de controlo de qualidade interno para o ColT, segundo o procedimento descrito, para os 3 laboratórios permite uma idêntica e correcta estratificação do RCV, sempre que os clínicos prescritores sigam as NOC referidas.
Resumo número/Abstract number:
51
Título da apresentação/Abstract title: ESTUDO DOS ALERGÉNIOS INALANTES MAIS FREQUENTES NO
DISTRITO DE VILA REAL INDUTORES DE ATOPIA, DURANTE O ANO 2015.

Tema/Theme:
Imunologia
Autor(es)/Authors: Carlos Vaz(1); Mário João Santos(2); Manuel Cirne de Carvalho(2); Nuno Aguiar(1)
Afiliação/Membership: (1) Laboratório Pioledo (2) BMAC

Resumo/Abstract:

Introdução: Os sintomas da alergia variam em termos de complexidade, gravidade e manifestação. A
doença atópica reflecte uma resposta individual e anómala, mediada por anticorpos da classe E, ao contacto com antigénios (alergénios).
Objectivos: Observar a prevalência do tipo de alergénios identificados em estudos realizados no nosso
laboratório (distrito de Vila Real) que apresentaram resposta positiva no Phadiatop®, comparando-os com a prevalência de pólenes existentes, segundo boletim polínico, disponibilizado pela Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica através da Rede Portuguesa de Aerobiologia no distrito de Vila Real.
Material e Métodos: Estudo transversal efectuado com base num total de 315 indivíduos do sexo
masculino e feminino com idade superior a 4 anos que recorreram ao nosso laboratório ao longo do ano 2015 para a determinação do Phadiatop®. Mediante um resultado positivo, investigou-se a prevalência dos alergénios Dermatophagoides pteronyssinus (d1), Dermatophagoides farinae (d2), Caspa de Gato (e1), Caspa de Cão (e5), Misto de Microorganismos (mx1), Misto de Gramíneas (gx1), Misto de Ervas Infestantes (wx3) e Misto de Árvores (tx1).
Resultados e Conclusões: O Phadiatop® foi positivo em 46% dos indivíduos. Neste contexto e considerando
apenas os Phadiatop® positivos, os RAST d1 e d2 apresentaram positividade em 50% e 58% dos indivíduos, os RAST e1 e e5 em 16% e 19%, o RAST mx1 em 9,6% e os RAST gx1, wx3 e tx1 em 59,5%, 35,1% e 52,4% respectivamente. Os resultados obtidos permitiram constatar que existe uma variação de resposta ao longo do ano, com maior positividade nos meses de Fevereiro e Abril para gx1 e Junho e Julho para wx3 e tx1 e que existe acordo com os níveis de pólenes divulgados pelo boletim polínico.
Resumo número/Abstract number:
52
Título da apresentação/Abstract title: PREVALÊNCIA DE COLONIZAÇÃO DE STREP GRUPO B NUMA
POPULAÇÃO DE GRÁVIDAS DO DISTRITO DE VILA REAL

Tema/Theme:
Microbiologia
Autor(es)/Authors: Sandra Pinheiro(1);Nelson Penelas(1)
Afiliação/Membership: (1) Laboratório de Patologia Clínica do Pioledo – Grupo BMAC

Resumo/Abstract:

Objectivo: Uma vez que a infeção por SGB é um fator importante de morbilidade e mortalidade no recém-
nascido, considera-se importante realizar um estudo sobre os casos de colonização de gestantes na zona de Vila Real e, relacionar a colonização por Streptococcus agalactiae com a idade da utente. Dessa forma, é possível demonstrar a importância do rastreio deste agente patogénico, para prevenir uma eventual infecção neonatal na nossa população.
Introdução:
O Streptococcus agalactiae, um microrganismo comensal de homem, é o principal agente
bacteriano responsável pela septicemia e meningite neonatal. Para evitar a infeção perianal recomenda-se a pesquisa da bactéria na região vagino-perianal durante o terceiro trimestre, indicando o tratamento antibiótico durante o parto das gestantes colonizadas.
Material e Métodos
: A amostra deste estudo é constituída por 124 gestantes que realizaram um rastreio
específico de SGB entre a 35ª e a 37ª semana de gravidez, no período de Julho de 2014 a Abril de 2016, no Laboratórios Pioedo de Vila Real - Grupo BMAC. Usou-se o caldo de enriquecimento selectivo (Caldo Todd- Hewit), com posterior subcultura em meio específico chromID Strepto B, e posterior isolamento das colónias positivas para meio agar-sangue. Segue-se a identificação da morfologia e tipo de hemólise das colónias, teste da catalase, teste de cAMP e teste sorológico.
Resultados:
A incidência da colonização deste agente patogénico nas gestantes foi de 17%. A população em
estudo apresentava idades compreendidas entre os 19 e os 47 anos, havendo uma maior incidência de colonização no grupo etário superior a 35 anos, e uma amostragem muito pouco significativa nas gestantes com idade inferior a 20 anos.
Conclusões:
Os resultados obtidos são suficientes para fazer perceber que 17% de incidência de colonização
em parturientes saudáveis por S. agalactiae, na zona de Vila Real, aponta para a necessidade de continuar a incorporar a pesquisa da colonização desta bactéria no exame pré-natal, dado o baixo custo da sua determinação e as consequências favoráveis da sua implementação. Conclui-se também uma tendência de aumento do nº de parturientes colonizadas com SGB a partir dos 35 anos.
Resumo número/Abstract number:
53
Título da apresentação/Abstract title: SHELL VIAL - IDENTIFICAÇÃO EM MEIO DE CULTURA CELULAR

Tema/Theme:
Microbiologia
Autor(es)/Authors: cristina isabel noronha jardim pena(1)
Afiliação/Membership: (1) CHUC

Resumo/Abstract:

Introdução Citomegalovirus é um vírus DNA; pertencente à família Herpesvirinae e da subfamília
Betaherpesvirinae. A definição de síndrome por CMV em transplantados, inclui uma cultura positiva, nas semanas prévias ou posteriores à sintomatologia e pelo menos 2 dos seguintes sintomas: febre, com mais de 3 dias de duração; leucopenia de menos 50%, sem evidência simultânea de doença aguda do enxerto contra a hospedeiro e evidência de hepatite com ALT pelo menos 1,5 vezes mais alta que o normal. Exemplificação da metodologia realizada em Laboratório de Virologia/Biologia Molecular do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra do meio de cultura em fibroblastos humanos do CMV, proposto em meio Hospitalar no âmbito da patologia clinica/ consulta hospitalar transplantados.
Material/Métodos:
A amostra de sangue em tubo heparinizado (10 ml para adultos e no mínimo 2 ml para
crianças) deve ser transportado no mesmo dia. Obtenção de buffy-coat; sedimentar durante 20-40 minutos a 37ºC; ou centrifugar durante 10 minutos a 1500 rpm à temperatura ambiente; utilizar um pipeta Pasteur para recolher o buffy-coat existente entre os eritrócitos e o plasma. Antes de se produzir a replicação do DNA de CMV se induz a síntese de antigénios precoces que têm uma expressão no núcleo da célula infetada. Os antigénios tardios começam a aparecer ás 72 horas tanto no núcleo como no citoplasma. A centrifugação das amostras em monocamadas e a utilização de técnicas para deteção de antigénios precoces expressados nas células infetadas permitem o diagnóstico de infeção de forma precoce. Inclusive em amostras com baixos títulos virais, podem-se obter resultados positivos em 24 horas. É conveniente inocular pelo menos 2x cada amostra em lâmina própria.Dependendo do momento em que se aplica o anticorpo e o tipo de anticorpo utilizado, se poderá observar um ou ambos padrões de fluorescência: fluorescência ponteada no núcleo da célula infetada ou fluorescência homogénea em todo o núcleo.
Conclusões :
As monocamadas devem ser examinadas pelo menos 2 x por semana para se observar o
padrão focal característico: células arredondadas, alargadas e refratáveis que lentamente se vão estendendo ás células adjacentes. As culturas devem se manter positivas pelo menos 4 semanas antes de se tornarem negativas.
Resumo número/Abstract number:
54
Título da apresentação/Abstract title: EFEITO DO IÃO FLUORETO, IN VITRO, SOBRE A MOBILIDADE DOS
ESPERMATOZOIDES HUMANOS
Tipo/Type: Poster
Tema/Theme: Toxicologia
Autor(es)/Authors: Rui Pinto(1);Cristina Domingos(1);Alexandra Centeno(1);José Pecegueiro(1);Carlos
Cardoso(1);Patricia Russo(2) Afiliação/Membership: (1) JCS, Dr. Joaquim Chaves, laboratório de Análises Clínicas (2) JCS, Dr Joaquim
Chaves, Laboratório de Análises Clínicas
Resumo/Abstract:

O objetivo de uma suplementação com fluoreto (F-) é o de prevenir a cárie dentária ou atrasar a sua progressão. Algumas Entidades ligadas à promoção da saúde oral sugerem a utilização de suplementos de F- até aos 18 anos. Por outro lado, sabe-se que a exposição ao F- pode causar alterações em diversos órgãos. De facto, foi já descrito que exposições a doses de F- entre 3-27 mg/dia podem induzir alterações ao nível da reprodução no homem que resultam do efeito toxico do F- sobre as células de Sertoli e as gonadotrofinas. Nos homens com problemas de fertilidade, a % de espermatozoides (spz) móveis está diretamente relacionada com a sua capacidade fertilizante. Deste modo, os suplementos de F- ao serem capazes de produzir modificações ao nível do aparelho reprodutor masculino podem influenciar a qualidade dos spz. O objetivo deste trabalho foi o de estudar o efeito in vitro do ião F- sobre amostras de esperma com mobilidade normal de modo a contribuir para a clarificação deste assunto. Foram selecionadas e após consentimento informado dos participantes, amostras de esperma consideradas normais, de acordo com a OMS (n=6). Alíquotas de esperma foram incubadas a 37ºC, com 0 (CTR), 5, 10, 20 e 50 mM de Ião F-. A mobilidade foi avaliada em cada uma das alíquotas aos 30 min. após incubação. A avaliação da mobilidade dos spz foi registada através de um sistema computorizado de análise de esperma (Hamilton-Thorn Motility Analyser). A mobilidade total dos spz (%) não sofreu alteração em relação ao CTR para as concentrações de 5 e 10 mM F- (80,0 +/- 2,5% vs 81,5 +/-1.7 % vs 78,2+/-3.8%, respetivamente). Para a concentração de 20 e 50 mM observou-se um decréscimo na mobilidade (67,5+/-1.7% e 10.5+/-5,1%, respetivamente; p<0.01 vs CTR). O ião F- , in vitro e, para as concentrações mais elevadas reduz significativamente a mobilidade dos spz. Deste modo, uma exposição crónica a este ião pode ter efeitos prejudiciais ao nível da fertilidade
Resumo número/Abstract number:
55
Título da apresentação/Abstract title: AVALIAÇÃO DOS PERFIS DE RESISTÊNCIA A ANTIBIÓTICOS EM
ISOLADOS DE ESCHERICHIA COLI PROVENIENTES DE INFEÇÕES URINÁRIAS ADQUIRIDAS NA COMUNIDADE

Tema/Theme:
Microbiologia
Autor(es)/Authors: Bibiana Maria Lima Marques(1); Alexandra Gomes(1); Elisabete Machado(2);João Carlos
Afiliação/Membership: (1) Medicina Laboratorial Dr. Carlos Torres, Unilabs (2) 2FP-ENAS/CEBIMED.
Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade Fernando Pessoa, Porto, Portugal
Resumo/Abstract:

Introdução: As infeções do trato urinário (ITU) por Escherichia coli são frequentes na comunidade,
recorrendo-se a antibióticos de eliminação urinária (β-lactâmicos, quinolonas, sulfanamidas, fosfomicina e nitrofurantoína) para o seu tratamento. O aumento de bactérias produtoras de β-lactamases de espetro alargado (ESBLs), qAmpCs e/ou carbapenemases compromete a eficácia dos antibióticos β-lactâmicos. A agravar a situação, são frequentes fenótipos de multirresistência aos antibióticos entre estas bactérias.
Objetivo: Avaliar a resistência a antibióticos em E. coli envolvidas em infeções urinárias na comunidade,
analisar a ocorrência e diversidade de ESBLs e qAmpC, e avaliar a co-resistência a antibióticos não-β- lactâmicos em isolados produtores de ESBL e/ou qAmpC.
Material e Métodos:
Foram analisados 480 isolados de E. coli de infeções urinárias adquiridas na
comunidade (Dezembro 2011 a Março 2012, Distrito do Porto). A identificação e avaliação da suscetibilidade a antibióticos foram efetuadas usando o VITEK®2 Systems. A expressão de ESBLs foi avaliada pelo teste do duplo sinergismo e a identificação de genes blaESBL (blaTEM, blaSHV, blaCTX-M) por PCR e sequenciação. Nos isolados identificados como presumíveis produtores de qAmpC avaliou-se a presença de blaqAmpC por PCR e sequenciação.
Resultados:
Os isolados analisados foram frequentemente resistentes à ampicilina (43%), ácido nalidixico
(29%) ou trimetropim-sulfametoxazol (23%). A resistência à nitrofurantoína ou fosfomicina foram baixas (2%, respetivamente). Em 3% (14/480) dos isolados foi detetada a presença de ESBLs (12 CTX-M, 2 SHV), enquanto qAmpC foi mais raramente identificada (0,8%). 76% dos isolados produtores de ESBL e/ou qAmpC expressaram fenótipo de multiressistência. Conclusão: A disseminação de E. coli multirresistentes a antibióticos na comunidade é uma realidade
preocupante que contribui para o insucesso do tratamento de ITU. O conhecimento dos padrões de resistência locais possibilita a escolha do antibiótico mais adequado em contexto de terapia empírica.
Resumo número/Abstract number:
56
Título da apresentação/Abstract title: IMPORTÂNCIA DAS INFECÇÕES POR UREAPLASMA UREALYTICUM,
UREAPLASMA PARVUM, MYCOPLASMA HOMINIS E MYCOPLASMA GENITALIUM NA QUALIDADE DO
ESPERMA E NA FERTILIDADE MASCULINA

Tema/Theme: Microbiologia
Autor(es)/Authors: Carlos Cardoso(1);Paula Lopes(2);Catarina Rosário(2);José Pecegueiro(2);Patrícia
Russo(2);Arminda Vilares(2);Clara Barrento(2);Rui Pinto(2) Afiliação/Membership: (1) JCS, Dr. Joaquim Chaves, laboratório de Análises Clínicas (2) Dr Joaquim Chaves,
Laboratório de Análises Clínicas
Resumo/Abstract:

Introdução: Ureaplasmas e micoplasmas genitais são potencialmente patogénicos e desempenham um
papel etiológico quer nas infeções genitais como na infertilidade masculina.
Objetivos: Este estudo tem por objetivo determinar a frequência da deteção de ureaplasmas e
micoplasmas em espermas obtidos de homens com dificuldades em engravidar as suas parceiras e comparar variáveis de espermogramas efetuados a homens infetados e não infetados com estes
Material e Métodos:
Foram investigadas um total de 248 amostras de esperma obtidas de homens
"inférteis". As amostras foram analisadas por PCR em tempo real para a pesquisa de ureaplasmas e micoplasmas genitais. A análise do esperma foi efetuada com um sistema computorizado de análise de esperma, de acordo com as guidelines da OMS. O tratamento estatístico foi efetuado por técnicas paramétricas estandardizadas (t-teste).
Resultados:
A frequência de deteção de ureaplasmas e micoplasmas em amostras de esperma foi elevada
(39%), com diferença importante entre as espécies analisadas. Foram encontradas alterações significativas nos parâmetros do espermograma dos homens infetados com ureaplasmas e/ou micoplasmas em relação aos não infetados: número de espermatozoides (p=0,008) e morfologia anormal dos espermatozoides (p=0,04) nos infetados com Mycoplasma hominis; número de espermatozoides (p=0,006) nos com Mycoplasma genitalium e (p=0,04) nos com Ureaplasma urealyticum.
Conclusões: Os resultados demonstram que é frequente a deteção de ureaplasmas e/ou micoplasmas em
esperma de homens "inférteis". As infeções com ureaplasmas e micoplasmas genitais podem influenciar negativamente a qualidade do esperma. Nem todos os parâmetros do espermograma sofrem o mesmo grau de influência. As diferentes espécies de ureaplasmas ou de micoplasmas têm um impacto diferente na qualidade do esperma. Nem sempre são pesquisadas de forma orientada as espécies com maior impacto na qualidade espermática.
Resumo número/Abstract number:
57
Título da apresentação/Abstract title: "CONTRIBUTO DA OBSERVAÇÃO DO ESFREGAÇO SANGUÍNEO PARA
O DIAGNÓSTICO DE GAMAPATIA MONOCLONAL"

Tema/Theme: Hematologia
Autor(es)/Authors: Marisol Moreira Lourinha (1); Ana Ribeiro (1); David Carneiro (1); Hugo Rodrigues (1);
João Moitas (1); José Henriques (1); Marco Ferreira (1); Ricardo Ferreira (1); Rui Cardoso (1);Sara Moreira (1); Sara Raquel(2) Afiliação/Membership: (1) beiraLab (2) Clínica de Aguiar da Beira

Resumo/Abstract:

Técnicas de última geração existentes nos nossos laboratórios, levam-nos a menosprezar as clássicas. Subestimamos técnicas de rotina, escapando pormenores que nos orientam no diagnóstico de algumas patologias. Relativamente à Gamapatia monoclonal, o estado da arte, oferece-nos hoje uma quantidade considerável de técnicas, para a sua detecção e caracterização. No entanto, tudo pode começar na observação macroscópica do esfregaço sanguíneo. Objectivos:
Mostrar a importância das técnicas de rotina no diagnóstico laboratorial, ajudando clínicos, doentes e o próprio sistema de saúde, uma vez que podemos poupar tempo e recursos. Caso clínico:
Homem de 76 anos, desde Maio de 2015 referia poliartralgias migratórias com agravamento progressivo, períodos dolorosos cada vez mais longos e dor no externo agravada com o movimento. Foi ao nosso Laboratório pela 1ª vez, para recolher sangue e urina, no dia 11/11/2015, depois de ter estado na urgência hospitalar. O seu médico de família requisitou várias análises entre as quais o hemograma: bicitopenia, anemia (hemoglobina de 10,2 g/dL) e trombocitopenia (plaquetas de 131x10*9/L). Foi realizado o esfregaço A côr do esfregaço (muito azulada), fez-nos consultar o processo do doente, VS (115 mm). Observado o esfregaço, foi detectada a presença de Rouleaux eritrocitário e de plasmócitos. Fez-se a electroforese das proteínas (apareceram dois picos com características monoclonais na zona de migração electroforética Gama) e doseamos as mesmas no soro (12,6 g dL). Informamos o clínico do achado laboratorial e sugerimos a realização de provas que o ajudariam a chegar ao diagnóstico. Realizamos a electroimunofixação das proteínas e doseamos as imunoglobulinas IgA, IgM e IgG e as cadeias Kappa e Lambda, no soro. Foi detectada uma banda com características monoclonais, caracterizada como uma imunoglobulina de cadeia pesada Alfa e leve Kappa (IgA-Kappa).
Conclusão:

Fornecidos os nossos resultados ao médico, o doente foi encaminhado para o Hospital, internado e submetido a exames de sangue, de medula e TACs dorsal e lombar. O diagnóstico principal foi de Mieloma Este caso mostra como o laboratório através de algo tão simples como a observação macroscópica de um esfregaço sanguíneo, conseguiu ajudar o médico a fazer um diagnóstico assertivo.
Resumo número/Abstract number:
60
Título da apresentação/Abstract title: IDENTIFICAÇÃO DE URATO MONOSSÓDICO NO LÍQUIDO SINOVIAL

Tema/Theme:
Bioquímica
Autor(es)/Authors: Maria do Rosário Pires da Cruz Barros(1);Paulo Jorge Lamoso Laranjeira(1)
Afiliação/Membership: (1) Unilabs/Medicina Laboratorial Dr.º Carlos Torres SA

Resumo/Abstract:

A identificação dos cristais de urato monossódico (UMS) e pirofosfato de cálcio deidratado (PPCD) no líquido sinovial, com contagem elevada de leucócitos polimorfonucleares (inflamação aguda) é a metodologia usada em reumatologia para o diagnóstico correcto de um quadro de gota ou pseudogota. Estes cristais têm diferentes características de birrefringência, e o microscópio de luz polarizada é o método padrão para a sua deteção. Mas vários estudos têm demonstrado que a sua identificação sofre de falta de coerência entre diferentes observadores, pela sua subjectividade e por algumas limitações da própria
Objetivo

Encontrar outros métodos cristalográficos que permitam uma correta classificação dos cristais em amostras de líquido sinovial.
Material e Métodos

Amostra de líquido sinovial colhida em tubos contendo EDTA-K3 ou sem qualquer aditivo (testadas em Centrifugação a 5.000 r.p.m durante 5' e aspiração do sobrenadante. Lavagem do sedimento com etanol arrefecido em banho de gelo seguido de centrifugação e separação do sobrenadante (2X). O sedimento recuperado pesava 0,01mg. Retoma do sedimento em vidro de relógio e obtenção do extrato seco em estufa (Heraeus) a 60º C. Mistura do extrato seco com 300 mg de brometo de potássio (KBr) e pulverização em almofariz. Produção do comprimido com auxílio do compressor hidráulico (Graseby Specac). Análise do comprimido por espectrofotometria de infra-vermelho pela transformada de Fourier (FTIR) (Genesis Series FTIR Spectrophotometer).
Resultados

A observação da amostra em microscopia de luz polarizada no i3S (Instituto Invest. e Inov. Saúde da UP) obteve várias imagens digitais de cristais de UMS. O espectrograma de infra-vermelho revelou presença no comprimido de UMS com coeficiente de correlação de 0,8696 para a amostra pura.
Conclusões

A identificação de cristais no líquido sinovial através de FTIR sugere objetividade, sensibilidade e especificidade necessárias para a decisão clínica, devendo ser alvo de mais investigação.
Resumo número/Abstract number:
61
Título da apresentação/Abstract title: A IMPORTÂNCIA DO HEMOGRAMA NO DIAGNÓSTICO DE DENGUE:
A PROPÓSITO DE UM CASO CLÍNICO

Tema/Theme:
Microbiologia
Autor(es)/Authors: Cristina Domingos (1); Rui Pinto (1); Alexandra Centeno (1); Sílvia Pinto (2); Anabela
Roios (2); Carlos Cardoso (1) Afiliação/Membership: (1) JCS, Dr. Joaquim Chaves, laboratório de Análises Clínicas (2) JCS, Dr. Joaquim
Chaves, Laboratório de Análises Clínicas. Miraflores-Algés
Resumo/Abstract:

O dengue (DEN) é uma doença de etiologia viral, frequentemente autolimitada e benigna, embora possa cursar com formas graves e potencialmente fatais. Na sua forma típica manifesta-se por febre alta, mialgias, artralgias, cefaleias e dor retro-orbitária. O DEN é um vírus RNA com quatro serotipos distintos (DEN 1 – 4) pertencente à família Flaviviridae. A infeção é transmitida ao Homem através da picada de mosquitos fêmeas do género Aedes. A nível mundial estima-se que ocorram anualmente 50/100 milhões de novos casos DEN. Em Portugal, têm ocorrido esporadicamente alguns casos importados de DEN (20 casos/ano). As principais formas clínicas do dengue são o DEN Clássico, o DEN com Complicações e a Febre Hemorrágica do DEN, podendo evoluir para a forma mais grave que é o Síndrome do Choque do DEN. Depois de inoculado no hospedeiro humano, o vírus entra nas células, replica-se, produz progenitores virais e inicia- se, então, a fase de viremia. O período de incubação médio é de 4 a 7 dias. Geralmente, o pico de viremia atinge-se um/dois dias antes do aparecimento dos sintomas. No presente trabalho relata-se o caso clínico de uma doente de 37 anos proveniente do Rio de Janeiro há menos de 12 horas e que dá entrada na urgência de um Serviço Hospitalar em Lisboa com um quadro de cefaleias, mialgias intensas e prostração. Os resultados laboratoriais revelaram: leucopenia (1800 cel/µL), trombocitopenia (120 000 plaq/ µL), discreto aumento da AST (36 U/L) e PCR dentro dos VR. A serologia (IgG + IgM) e a pesquisa de RNA do DEN por RT-PCR revelaram-se negativas. Decorridos três dias e com o agravamento dos sintomas agora acompanhados também por diarreia são pedidos novos exames que revelaram: melhoria na leucopenia (3200 cel/µL), acompanhada, agora, pela presença de linfócitos atípicos (8,0%), agravamento da trombocitopenia (66 000 plaq/ µL), aumento dos níveis das transaminases (AST=63 e ALT=37) e serologia para a S. typhi e paratyphi negativa. Durante os 30 dias seguintes a doente foi acompanha em ambulatório. Nesta altura os resultados analíticos já revelaram normalização dos valores alterados. Detetam-se, pela primeira vez, Ac. IgG/IgM e RNA para o DEN. Conclui-se que as repercussões hematológicas nos doentes com DEN podem anteceder a deteção de Ac. e RNA do DEN, evitando diagnósticos tardios que podem revelar-se prejudiciais para o doente.
Resumo número/Abstract number:
62
Título da apresentação/Abstract title: DETERMINAÇÕES QUANTITATIVAS DO GRAU DE ALCOOLEMIA
NUM LABORATÓRIO DE URGÊNCIA DE UM HOSPITAL TERCIÁRIO DA CAPITAL – UTILIDADE CLÍNICA

Tema/Theme: Bioquímica
Autor(es)/Authors: M. Filipa Paramés(1);Sandra Paulo(2);Teresa Amaral(3);José Melo Cristino(3)
Afiliação/Membership: (1) Serviço de Patologia Clínica - H. S. Maria - CHLN, EPE (2) Serviço de Patologia
Clínica - Centro Hospitalar Cova Beira (3) Serviço de Patologia Clínica - Hospital de Santa Maria, Centro Hospitalar de Lisboa Norte, EPE
Resumo/Abstract:

Introdução: O consumo de álcool exagerado representa um problema de saúde pública que tem motivado
campanhas de prevenção e sensibilização diversificadas. No entanto, continuam a ser admitidos nos Serviços de Urgências anualmente um elevado número de casos de suspeita de intoxicação alcoólica. Assim, importa que o Laboratório de Urgência Hospitalar corresponda com a disponibilização de testes adequados à necessidade de intervenção clínica, com curto tempo de resposta, e garantindo um controlo de qualidade irrepreensível. A determinação quantitativa do nível de alcoolemia permite uma estratificação em grupos de acordo com os sinais e sintomas associados à intoxicação alcoólica e riscos associados, permitindo protocolar a decisão clínica adequada. Torna-se fundamental o respeito pelas regras de colheita (desinfeção da pele com solução não alcoólica), conservação adequada da amostra e o menor tempo de entrega no
Objetivo:
Caraterização e avaliação dos resultados laboratoriais de doentes com suspeita de consumo

Métodos:
Análise retrospectiva dos resultados laboratoriais da Determinação da Alcoolémia – método
espectrofotométrico, Dimension (Siemens®), durante o ano de 2015. O intervalo de medição do analito é de 3-300mg/dL, sensibilidade analítica 3mg/dL e valor de referência <3mg/dL. Resultados: Foram efetuadas 930 determinações em 916 suspeitas de intoxicação alcoólica; numa
população com 298 mulheres, com idade variável entre os 13 e os 85 anos. Determinaram-se 510 resultados negativos; 144 intoxicações ligeiras (<100mg/dL); 119 resultados correspondentes a intoxicações moderadas a severas (100-200mg/dL); 66 intoxicações graves (200-250mg/dL); e 91 resultados correspondentes a coma alcoólico, >250mg/dL. Conclusão: A determinação da alcoolémia permitiu confirmar o diagnóstico, estabelecer prognóstico e
adequar e monitorizar a terapêutica à situação clínica presente. De referir como limitação que o período de deteção do álcool vai depender da dose consumida, tempo após o consumo e estado geral do indivíduo entre outras variáveis.
Resumo número/Abstract number:
63
Título da apresentação/Abstract title: UM ANO DE ESTUDO DE PSICOFÁRMACOS NUM LABORATÓRIO DE
URGÊNCIA DE UM HOSPITAL TERCIÁRIO DA CAPITAL

Tema/Theme:
Bioquímica
Autor(es)/Authors: Sandra Paulo(1);M. Filipa Paramés(2);Teresa Amaral(2);José Melo Cristino(2)
Afiliação/Membership: (1) Centro Hospitalar Cova da Beira (2) Serviço de Patologia Clínica - Hospital de
Santa Maria, Centro Hospitalar Lisboa Norte EPE
Resumo/Abstract:

Introdução: Considerando que existe atualmente um grupo populacional alargado que se encontra
medicado com psicofármacos, não surpreende que uma elevada percentagem dos casos de suspeita de intoxicação medicamentosa sejam por este tipo de fármacos. Assim, importa que o Laboratório de Urgência Hospitalar corresponda com a disponibilização de testes adequados à necessidade de intervenção clínica, com curto tempo de resposta e garantindo um controlo de qualidade irrepreensível. Para a pesquisa destes fármacos estão disponíveis testes por Enzyme multiplied based immunoassay technology (EMIT) que permitem a determinação qualitativa destes fármacos na urina. Esta tecnologia alia a sensibilidade e especificidade dos imunoensaios à reprodutibilidade e rapidez dos ensaios enzimáticos, permitindo automatização. Os resultados são apresentados como detectado (positivo) e não detectado (negativo), de acordo com o valor de corte de cada teste: pesquisa de Barbitúricos (urina 200ng/mL) e Benzodiazepinas (urina 200ng/mL). Os Antidepressivos Tricíclicos, durante o ano de 2015, foram pesquisados por imunocromatografia de fase sólida (urina 1000ng/mL).
Objetivo:
Avaliação dos resultados laboratoriais de doentes com suspeita de intoxicação medicamentosa a

Métodos:
Análise retrospectiva dos resultados laboratoriais da Pesquisa de Antidepressivos, Barbituricos e
Benzodiazepinas na urina, durante o ano de 2015.
Resultados:
A maior proporção de resultados positivos ocorreu na determinação de benzodiazepinas (535
resultados positivos num total de 1448 determinações), seguido pelos antidepressivos tricíclicos (51 positivos em 1090 determinações) e, por último, pelos barbitúricos (9 positivos em 1023 determinações).
Conclusão:
O Laboratório de Urgência Hospitalar assume um papel relevante no âmbito da monitorização
terapêutica e confirmação diagnóstica da intoxicação medicamentosa por psicofármacos. De referir como limitação destes testes: um resultado positivo apenas indica a deteção do fármaco acima do valor de corte, não indicando níveis de intoxicação, tendo estas determinações sobretudo um valor preditivo negativo. O período de detecção do fármaco depende do tipo e dose e estado geral do doente entre outras variáveis.
Resumo número/Abstract number: 64
Título da apresentação/Abstract title: COMO MONITORIZAR UM PACIENTE DIABÉTICO QUANDO A SUA
HbA1c É "MENTIROSA" ?

Tema/Theme:
Bioquímica
Autor(es)/Authors: Margarida Santos Baptista(1);José Carlos Gouveia(1);Marco Prazeres Marques(1)
Afiliação/Membership: (1) Euromedic-Hormofuncional

Resumo/Abstract:

Introdução: A hemoglobina glicada (HbA1c) reflete os níveis de glicémia dos últimos 120 dias e é uma
ferramenta importante na supervisão da diabetes. Desde a padronização dos métodos (NGSP e IFCC), passou a ser aceite como critério de diagnóstico e fator importante nas tomadas de decisão terapêutica nestes doentes, uma vez que a diminuição dos níveis de HbA1c é, juntamente com a redução dos fatores de risco cardiovascular, o caminho recomendado para o seu controlo e monitorização. Dependendo do método usado, o doseamento de HbA1c pode ser afetado por diversos fatores (incluindo as hemoglobinopatias) e, nestes casos, o clínico não pode seguir a guideline previamente estabelecida, pois vai estar perante uma HbA1c "mentirosa". A cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC), um dos métodos mais usados em todo o mundo, é vulnerável ao efeito de algumas variantes de hemoglobina.
Objetivo:
Comparar os níveis de HbA1c, obtidos por diferentes métodos, num doente com uma variante de
hemoglobina clinicamente silenciosa.
Material e métodos / Caso clínico:
Doente masculino, 62 anos, com diabetes mel itus tipo II diagnosticada
em 2001. Histórico de glicémias elevadas e níveis de HbA1c por HPLC - Menarini Arkray Adams A1c HA8180 (HA8180) dentro dos valores de referência para não diabéticos. A sua médica refere estar confusa pois, sistematicamente, "os valores de glicémia parecem ser de uma pessoa e os de HbA1c de outra". O cromatograma revelou um pico anormal, que se sobrepõe parcialmente ao pico de HbA1c, sem originar qualquer alarme do equipamento. A eletroforese de hemoglobinas (Sebia Capil arys2) revelou a presença de uma variante, migrando na zona correspondente à Baltimore, o que foi confirmado por biologia molecular. Finalmente, foram determinados os níveis de HbA1c por HPLC-afinidade ao boronato - Menarini Hb9120 Premier (Hb9120) e por Imunoensaio Turbidimétrico - Roche Cobas 6000 c501 (Cobas).
Resultados:
(HA8180) HbA1c = 5,3% ; (Hb9120) HbA1c = 8,4% ; (Cobas) HbA1c = 8,5%.
Conclusão: Perante uma discordância inexplicável e persistente entre os valores de HbA1c (HPLC) e da
glicémia, deve ponderar-se a realização de uma electroforese de hemoglobinas (despiste de uma hemoglobina variante). Se positivo, deve optar-se por um método alternativo para o doseamento, eliminando o problema e reabilitando o valor clínico da HbA1c.
Resumo número/Abstract number:
65
Título da apresentação/Abstract title: AVALIAÇÃO LABORATORIAL DA HORMONA ANTI-MULLERIANA:
MANUAL vs AUTOMÁTICA

Tema/Theme:
Bioquímica
Autor(es)/Authors: Alexandra Centeno (1); Cristina Domingos (1); Rui Pinto (1); André Domingues (1);
Marina Pires (1); Sandra Mendes (1); Carlos Cardoso (1) Afiliação/Membership: (1) JCS, Dr. Joaquim Chaves, laboratório de Análises Clínicas
Perante o adiamento da maternidade, nos dias de hoje, pela mulher e o cada vez mais frequente recurso a técnicas de procriação medicamente assistida, a avaliação da reserva ovárica funcional surge como uma tentativa de melhorar o aconselhamento junto dos casais e nortear os protocolos de estimulação ovárica. A hormona Anti-Mul eriana (HAM) também designada de substância inibidora anti-Mul eriana é uma glicoproteína dimérica, produzida exclusivamente nas gónadas e envolvida na regulação do crescimento e desenvolvimento folicular. No ovário parece ser capaz de inibir o início do crescimento dos folículos primordiais e o crescimento dos folículos dependentes da FSH. O seu nível sérico representa a quantidade e a qualidade da reserva ovárica. Pode ser útil para prever a resposta ovárica e possivelmente o prognóstico dos ciclos de fertilização in vitro (FIV). Parece ser também um bom marcador na síndrome de ovário poliquístico. (SOP). Por estes motivos é importante o laboratório disponibilizar uma metodologia de avaliação deste marcador o mais exato possível. Estão comercializados atualmente métodos imunoenzimáticos manuais e totalmente automatizados. O objetivo deste trabalho foi o de comparar os resultados obtidos para a HAM utilizando um método manual (ELISA – Beckmann Coulter GEN II) e um método totalmente automatizado (Electroquimioluminescência – Elecsys 2010 – Roche). Foram testadas 43 amostras provenientes de mulheres em idade fértil e processadas de acordo com os procedimentos recomendados pelos fabricantes de cada metodologia utilizada. Os resultados obtidos mostram uma diferença estatisticamente significativa entre os dois métodos (1,84 +/- 1,60 ng/ml Elecsys vs 3,09 +/- 2,79 ng/ml Beckman GEN I , p <0,001; media+/-sd). O r (correlação de pearson) foi de 0,93 e o m (slope) de 0,53. Estes resultados mostram que os dois métodos não oferecem resultados comparáveis pelo que é aconselhado que cada um deles apresente os seus próprios valores de referência e que seja evitada qualquer avaliação de fol ow-up utilizando ambos os métodos em simultâneo.


MTP Eventos, Lda
Associação Nacional de Laboratórios Clínicos Telf: +351 217 583 325 Associação JIQLAC
Tlm.: +351 912 519 566 Jornadas Internacionais da Qualificação em Laboratórios de Análises Clínicas

Source: http://www.anl2016.pt/wp-content/uploads/2016/05/livro-resumos-final.pdf

bergamet.nl

Active International Research into Cardiometabolic and Liver Effects of a Proprietary Calabrian Bergamot Citrus Extract By James Ehrlich, MD and Jay Williams, PhD A team of Italian physicians and food scientists are leading an aggressive international research agenda into the salutary cardiovascular, metabolic, and hepatic properties of a juice extract of the bergamot citrus fruit (Citrus bergamia, Rutaceae), endemic to Calabria, Italy. After developing one of Europe's top medical research facilities at the Interregional Research Center for Food Safety and Health at the University of Catanzaro, the group has recruited academic physicians from Rome, Australia, and the United States to study the properties of a highly concentrated juice extract called(Bergamot Polyphenol Fraction/BPF 38%). Over the past few years, the group has organized international symposia, published book chapters, and has authored numerous publications concentrating its efforts on three key areas affecting at least 30% of western civilization -- high cholesterol, metabolic syndrome, and fatty liver disease. Safe and effective management of dyslipidemia (elevated cholesterol) with a "natural statin" It is well known that statin cholesterol medications have a long list of adverse side effects, including muscle aches, memory loss, and an elevated risk for diabetes. Finding a natural and safe lipid-lowering alternative is a topic of increased interest among clinicians and proactive citizens. Bergamot polyphenolic fraction (BPF) has been shown to lower LDL- cholesterol , raise HDL-cholesterol and favorably improve the dangerous lipoprotein particle characteristics seen in most Americans who consume excessive carbohydrates. Dietary polyphenols (especially bioflavonoids) may prevent atherosclerosis due to their anti-oxidative and anti-inflammatory proprieties. Among the citrus family (Rutaceae), bergamot fruits contain a very high content of flavonoids, including "statin-like" bruteridin and melitidin, two polyphenols which contain the same HMG-CoA reductase enzymatic activity found in all pharmacologic statins.

Powerpoint presentation

ESPOSIZIONE A PESTICIDI E RISCHI PER LA SALUTE UMANA 19 settembre 2016 FORLI' PATRIZIA GENTILINI PESTICIDI "Molecole di sintesi selezionate per combattere organismi nocivi e per questo generalmente pericolose per tutti gli organismi viventi" I SISTEMI VIVENTI SONO SISTEMI COMPLESSI